Reportagens

FishingTur

Olha aí

Interativos

Anúncios



Pesqueiro Castelinho – Um Natal com as pirararas

Local: Pesqueiro Castelinho – São Pedro – SP

Amigos,

Segue abaixo um ótimo relato de uma perfeita pescaria realizada por nosso amigo Bruno Pirarara nas águas do Pesqueiro Castelinho. Foram dezenas de Pirararas em um grande Natal. Vale a pena relembrar.

Marcio David

———————————————————————————————————————-

Olá

Minha aventura começou as 21:50 hs, do dia 21/12, eu estava dentro da barraca enchendo o colchão e soou o primeiro alarme do conjunto do lado direito, bateu na tuvira e depois de 15 minutos de briga com uma pirarara que entrou na casa de barco e consegui trazê-la pelo mesmo caminho, roçando a linha na estrutura, consegui ancorá-la no ponto de recepção que havia feito e retirei-a sozinho da água. Pesada e fotografada, 22 kgs. Examinei a linha, retirei 10 metros de linha ralada, coloquei outra tuvira e coloquei com as mãos a isca no mesmo lugar e voltei para terminar de encher o colchão.
 

 

pirarara

Pirarara - Bruno

 

22:30 hs, 21/12, estava fazendo o fechamento do quiosque e soou novamente o alarme e olhei para os conjuntos do lado direito novamente e a vara estava totalmente vergada e tomando linha devagar, mesmo com a fricção quase fechada, novamente para dentro da casa de barco, bateu na cabeça de peixe, comecei a briga e quase cai no lago com a fisgada e a puxada com a vara para que a mesma saísse da casa de barco e senti a linha passar na estrutura, com três puxadas consegui que ela saísse de dentro da casa de barco e tomasse a direção da plataforma, aliviei um pouco a fricção e comecei a trazê-la, sem dar trégua, para que ela não virasse de novo e tomasse mais linha, após 30 minutos, ancorei-a no ponto de recepção e retirei-a da água com dificuldade, pois era uma pirarara grande. Para retira-la, prendo o salva varas, que tem um mosquetão na ponta, no meu corpo ou no suporte reforçado, caso o peixe escape das minhas mãos na hora da retirada e não perca o peixe e pior o conjunto de pesca. Pesada e fotografada, 37 kgs. Novamente foi trocado mais uns 10 metros de linha ralada e colocado outra cabeça de peixe no mesmo lugar. Voltei para o fechamento do quiosque.

 

Pirarara

Pirarara - Bruno

01:40 hs, 22/12, já havia terminado a montagem do acampamento e estava jantando meu miojo quando novamente o alarme disparou e foi mais briga dentro da casa de barco, sendo que esta passou pela pequena passarela entre o barranco e a casa de barco, novamente trouxe-a pelo mesmo caminho que havia traçado e a retirei no ponto de recepção com trabalho devido à valentia da pirarara, era água para todo lado. Pesada e fotografada, 14 kgs. Inspecionada a linha e mais 5 metros trocados da primeira vara que já tinha tirado 10 metros antes. Iscado outra tuvira e colocado no mesmo lugar.

 

pirarara

Pirarara

No restante da noite, não houveram mais ações de peixes de couro, somente alguns pacus e uma carpa entraram e foram fisgados na vara central com cabeça de peixe e salsicha e liberados, alguns sem fotos ou pesagem.

No amanhecer muita agitação no lago com muita ação de pesca com cevadeiras que afastou qualquer possibilidade de entrar peixes de couro, terminei de revisar o acampamento, fazer alguns ajustes, revisei todas as iscas das varas e fui dormir, eram 9 hs da manhã.

16 hs, 22/12, início do segundo round, fiz uma verificação das iscas das varas, sempre da esquerda para direita, critério pessoal que uso para verificação de iscas, normalmente depois de uma ausência prolongada ou um período de sono eu recolho as iscas, verifico e recoloco-os nos mesmos lugares, tarefa fácil, pois na maioria das vezes eu sempre arremesso com a mão as iscas, cuidadosamente.

16:10 hs, 22/12, na vara central, no processo de verificação das iscas, eu normalmente pego a linha e dou uma pequena puxada para verificar se ainda tem isca, pois a cabeça de peixe pesa e se consegue perceber se ainda esta lá, mas não seu estado, se esta comida, por exemplo. Segundos depois desta puxada eu ia empunhar a vara para recolhê-la e tive uma brusca ação, envergando completamente e foi respondida com uma rápida fisgada e travada, mais uma briga de 20 minutos com uma pirarara querendo correr em direção a plataforma.

Retirei-a da água no ponto de recepção, sozinho, mas com a observação atenta de um jovenzinho aspirante a pescador de pirarara, chamado Lucas. Pesada e fotografada, 20 kgs, não pude deixar meu novo amiguinho sem uma foto com uma pirarara. Posicionei a câmera no meu banquinho, enquadrei o Lucas e deixei a pirarara no chão na frente dele, daí corri até ele e ergui a pirarara deixando ele entre eu e a pirarara e me escondi atrás dele, segurando a pira, pois ele não agüentaria sozinho e afinal a foto era presente para ele, o qual ficou muito feliz e foi correndo contar e mostrar a foto para seu pai. Renovei a isca na vara e arremessei mais ou menos no mesmo lugar e continuei a verificação das demais varas.

 

Pirarara

Pirarara

Pirarara

Pirarara

 

O calor era intenso e verifiquei a temperatura na balança digital que estava à sombra, fazia 36 graus à sombra. Preparei o equipamento para a noite que se aproximava e aguardei, estava escurecendo no pesqueiro a partir das 20 hs devido ao horário de verão.

19:50 hs, 22/12, Mais um alarme disparado e novamente a vara central com cabeça de peixe estava envergada e tomando linha em direção a plataforma. A briga foi muito típica e já deu para perceber que era uma pirarara do último lote colocado no pesqueiro, pois elas brigam se debatendo e girando no próprio eixo e sacodem a cabeça para se livrar do anzol. Foi retirada rapidamente, pesada e fotografada, 12 kgs, mais uma vez com uso do temporizador da câmera digital.

 

Pirarara

Pirarara

 

20:16 hs, 22/12, dez minutos depois, foi à vez de o lado direito dar mostra de ação, com uma bela corrida de uma pirarara abocanhando uma tuvira que estava sob a vegetação flutuante, e foi recepcionada no ancoradouro (ponto de recepção) com alegria, pois duas pirararas em uma hora indicavam que a noite seria propicia a ser piscosa. Pesada e fotografada, 16 kgs, mais uma vez sozinho. Renovei tuvira na vara e coloquei, desta vez dentro da vegetação flutuante em busca de fisgar um pintado ou cachara.

 

Pirarara

Pirarara

 

22:30 hs, 22/12, escutei um rebojo forte na água e em seguida o alarme foi acionado, era a tuvira que havia colocado dentro da vegetação flutuante que tinha seduzido um peixe, briguei por 20 minutos com a fricção cantando deliciosamente, mas infelizmente enquanto puxava o peixe já na minha direção ele escapou sem mais, nem menos. Podia ser uma pirarara ou um pintado, mas não era muito pequeno não, pela força demonstrada. Arrumei novamente outra tuvira no mesmo local.

 

 00:25 hs, 23/12, estava sentado observando os néons nas pontas das varas, quando percebi que uma das varas do lado direito começou a descer bem devagarzinho e corri na direção dela, inclusive enfiando um pé na lama, errei o caminho, e peguei a vara antes mesmo da tensão fazer soar o alarme eletrônico e fisguei vigorosamente e não deixei a pirarara entrar na casa de barco, e rapidamente ela tomou a direção ao barranco oposto, aliviei a fricção e comecei a trazer a pirarara para o ponto de recepção e foi retirada, fotografada e pesada, 21 kgs, novamente sozinho.

Em todo o lago escutei os demais pescadores fisgando e retirando pirararas e outros peixes. Realmente a noite foi muito piscosa. A temperatura da noite era de 24 graus.

Pirarara

Pirarara

 

06:05 hs, 23/12, mais um alarme tocou e estava cochilando na cadeira, levantei rapidamente, era a vara do meio com cabeça de peixe, mas ao tentar fisgar o peixe, acabei tirando a isca da boca da pirarara, ela devia estar carregando a isca, mas a ponta do anzol não estava voltada para a boca dela ou ela estava apenas carregando a cabeça com a ponta da boca, mesmo porque a isca voltou intacta no anzol. Arremessei novamente.

Ao amanhecer, novamente a ação dos pescadores com cevadeiras era grande, nunca tinha visto o pesqueiro tão cheio em uma manhã. Havia muita ração na água e eram apenas 8 hs da manhã e incrível, pouquíssimos peixes fisgados.

Fui dormir mais ou menos as 9 hs, depois de um belo café da manhã e uma ronda no lago inteiro procurando saber das notícias das pescarias dos colegas e oferecendo um cafezinho fresquinho e quente feito na beira do lago. Realmente várias pirararas foram fisgadas na noite e na madrugada, a maioria na faixa de 10 a 20 kgs.

16 hs, 23/12, início do terceiro round, fiz uma nova verificação das iscas das varas, seguindo o mesmo critério da esquerda para direita, verifiquei todas as iscas e notei que os pacus estavam comendo as cabeças de peixe e mataram 2 tuviras mordendo a cabeça das mesmas, renovei as iscas da mesma forma e fui montar as outras duas barracas, pois meu filho e namorada estavam para chegar e ainda havia a possibilidade do casal de amigos chegar a qualquer momento e gostaria de que ao chegarem, eles encontrassem as barracas montadas.

18:40 hs, 23/12, Estava acabando de esticar a última corda da segunda barraca quando o alarme tocou e a vara com a tuvira do lado direito tinha seduzido outra pirarara, como estava dentro do barranco à tomada de linha foi excepcional e com mais de 60 metros, ela rumava em direção a uma árvore caída na margem do barranco, mas depois de domada pela ação da vara, pois é a ação da vara sendo flexionada várias vezes que faz ela virar de frente para você e permitir que comece a arrastá-la sem dar tempo para que ela se vire e comece a tomar linha de novo. Consegui arrastar e ancorar ela no ponto de recepção e pedi ajuda aos meus colegas vizinhos para tirar uma foto decente, sem o uso do temporizador, pois o por do sol estava muito lindo. Pesada e fotografada, 29 kgs. Fui com meu colega Edson e seu amigo recolocar a isca na vara e colocar no mesmo lugar.

 

Pirarara

Pirarara

 19:18 hs, 23/12, Enquanto estava conversando com meus colegas no quiosque, meu alarme toca novamente e uma corrida em direção a vara do lado direito que estava mais próximo a casa de barcos, com cabeça de peixe, mas ela tinha tomado a direção ao barranco oposto e não a casa de barcos, meus colegas me acompanharam na briga e me ajudaram a retirar-la no ponto de recepção. Pesada e fotografada, 26 kgs e esta foto ficou mais linda ainda com o por do sol.  Aproveitamos para tirar uma foto com o trio (com o temporizador). Novamente a isca foi renovada e colocada no mesmo lugar.

 

Pirarara

Pirarara

Pirarara

Pirarara

 

 20:00 hs, 23/12, Ainda estávamos de frente as varas, tinha acabado de jogar a isca e a vara do lado, também no barranco e com cabeça de peixe enverga rapidamente e ainda cansado falei para meu colega, fisga-la, ele repassou para o amigo dele que era a primeira vez no castelinho e nunca tinha pegado uma pirarara. Ele se agachou e tentou retirar a vara do suporte, não conseguiu da primeira vez, nem na segunda tentativa e na terceira vez com vontade, conseguiu retirar a vara do suporte e começou a briga, dividimos a emoção, pois sua barriga ficou marcada pelo cabo da vara e pelo fato de ter cansado logo, então eu a trouxe até o ponto de recepção e mais uma pirarara de 26 kgs, pesada e fotografada, parecia uma irmã da anterior. Por via das dúvidas ficamos mais uma meia hora juntos, mas não é toda hora que sai três pirararas tão rapidamente.

 

Pirarara

Pirarara

 

01:28 hs, 24/12, cochilando mais uma vez, mas agora na barraca, escutei o alarme e vi a vara da cabeça de peixe do conjunto do centro envergada lateralmente, sendo suportada pelo suporte. A pirarara pegou a isca no meio do lago e correu a favor passando pela linha da vara indo na direção da casa do barco, rapidamente segurei a vara e tranquei a mesma desviando seu caminho para o barranco e a retirei no ponto de recepção do lado direito, não deu muito trabalho, pois ela nadou a favor, pesada e fotografada, 12 kgs. Renovei a isca e caminhei para lavar as mãos quando…

 

Pirarara

Pirarara

 

01:57 hs, 24/12, estava lavando as mãos por causa da troca de isca da pirarara recém pega e o alarme soa novamente e o barulho da catraca da carretilha era violento, a isca era salsicha perto da margem, foi uma corrida desesperada rumo à plataforma e travei a carretilha colocando a fricção ao máximo e não consegui frear o peixe com auxilio da vara, pois era de ação lenta e já estava a 90 graus, desci a vara, enrolei e puxei com auxilio do dedo no carretel, pois já devia estar entrando embaixo da plataforma e de repente a linha 0,80 arrebentou deixando a incógnita de saber se era uma pirarara ou grande pintado ou cachara que tinha atacado a salsicha na beirada do barranco. Foi tudo muito rápido.

02:00 hs, 24/12, Ainda com a vara na mão lamentando o peixe perdido e o alarme da vara mais perto da casa de barco deu uma leve soada e parou, olhei e ai sim a vara envergou, larguei o conjunto que estava nas mãos e fui correndo pegar o outro. Uma bela briga com boa tomada de linha e uma linda pirarara de 22 kgs, pesada e fotografada, foi ancorada e solta depois do registro, com direito a banho na soltura.

 

Pirarara

Pirarara

Fui tomar uma ducha, aguardei mais uma hora e voltei a descansar um pouco na barraca. Acabei acordando por volta do meio dia e recebi a visita do meu amigo Guilherme e de seu pai, que estavam passeando pelo castelinho, verificaram o equipamento, viram o meu álbum de fotos e conversamos a possibilidade de ele voltar mais tarde para pescar uma única noite e aconselhei a arriscar, pois estava batendo bem.

Amigos

Amigos

 

18:00 hs, 24/12, novamente o conjunto do meio com cabeça de peixe aciona o alarme e traz uma pirarara de 13 kgs, parecia ser uma pirarara maior pela forte briga proporcionada. As pirararas recém colocadas, têm a primeira arrancada muito violenta enganando até os mais experientes. Agora com ajuda de minha mulher que já havia chegado, foi pesada, fotografada e devolvida no ponto de recepção.

Nesta altura achava que já tinha recebido todos os presentes de natal que um pescador de pirararas poderia receber, mas ainda tinha muito por vir.

Pirarara

Pirarara

 

21:00 hs, 24/12, Estávamos preparando a ceia de natal quando o alarme toca e a vara quase toca a água. Era o conjunto mais pesado com a fricção fechadíssima, pois estava praticamente dentro da casa de barco e uma bela pirarara de 27 kgs veio coroar a noite, bateu na tuvira, a maior que eu tinha. Com ajuda de minha mulher pesei, fotografamos e voltamos ao preparo da nossa ceia, uma saborosa macarronada e uma porção de pintado do castelinho e a champanhe.

 

Pira

Pirarara

 

23:25 hs, 24/12, já estávamos em contagem regressiva para nossa ceia a meia noite, quando o alarme anuncia que teríamos outra briga com uma pirarara batendo na tuvira do lado esquerdo. Peguei a vara e percebi que não era uma pirarara muito grande e dividi a briga com minha mulher que também adora, principalmente as “bebezinhas” como ela chama carinhosamente. Trazida até o ponto de recepção, pesada, fotografada, 11 kgs. Finalmente fomos cear e comemorar a entrada do NATAL.

 

Pirarara

Pirarara

pira

Pirarara

 

 

00:10 hs, 25/12, Tínhamos acabado de comer e estávamos curtindo ainda alguns fogos e apreciando a beleza da noite no castelinho quando o alarme anunciou outro presente, na mesma vara, desta vez a uns 10 metros da margem, era mais uma pirarara “bebezinha”, pesada, fotografada, 10 kgs.

 

Pirarara

Pirarara

 

10:15 hs, 25/12, acordei com meu alarme soando e a vara do meio com cabeça de peixe tinha engatado outra pirarara, depois de uma brava briga, pesagem e fotografia, a menor pirarara, 8 kgs de pura valentia, parecia ter 15 kgs na briga. Minha mulher tentou segurar, mas não teve jeito ela era brava mesmo, quando esta ficar crescida, vai dar muito trabalho!

Pirarara

Pirarara

Pirarara

Pirarara

 

Após o almoço, fomos agraciados com a visita de meu grande amigo David e seu pai, Sr. Jair que ficaram como nossos vizinhos do lado esquerdo. Estava muito quente e o lago estava parado, nem os tambacús estavam subindo aos quilos e quilos de ceva jogados no lago pelas cevadeiras.

A tarde, meu amigo Guilherme também chega e se instala na outra margem, do lado das árvores, mas na mesma linha que estava pescando, defronte à casa de barco.

E a noite foi de espera e mais espera, embora tudo indicasse que fosse mais uma noite piscosa para nós, aconteceu justamente o contrario e não tivemos nenhuma ação na noite e nem na madrugada.

05:30 hs, 26/12, depois de fazer um café, fui levar um pouco ao Sr. Jair que já tinha levantado e estava começando a pescar tambacús, enquanto meu amigo David, companheiro na espera noturna tinha ido descansar um pouco.

Aproveitei e dei minha ronda matinal ao redor do lago para saber das novidades e é lógico levando um cafezinho quente para aqueles que pernoitaram acordados. Meu amigo Guilherme conseguiu tirar 4 pirararas entre 8 e 16 kgs e perdeu uma também na mesma faixa de peso, estava usando queijo e sardela. Na outra extremidade do lago, perto do restaurante e da capela, outro colega conseguiu tirar 3 pirararas também entre 10 e 15 kgs. O restante em todo o lado dos quiosques não houve nenhuma atividade.

Meu colega Marcelo Menedin e noiva também chegam e se instalam no primeiro quiosque depois que meu amigo Fábio Prado foi embora, sem pegar nenhuma pirarara, mas pegou um belo tambacú de 19,5 kgs pesados por mim na balança digital.

Durante o dia, além de estar atento a qualquer disparo do alarme sonoro dos conjuntos, aproveitei para confraternizar com os amigos ao redor do lago, cumprimentar pela passagem do natal.

A tarde o Sr. Jair  voltou a tentar pescar alguns tambacús e conseguiu fisgar vários exemplares de médio porte.

17:00 hs, Minha mulher estava pescando com dois conjuntos de fundo, um com queijo e outro com massa, foi quando uma envergada na sua vara de 50 lbs que estava com queijo de fundo a fez correr, pelo arranque continuo em direção a plataforma era uma pirarara e assim que ela fisgou e puxou, a mesma mudou de direção e fez uma curva indo em direção à casa de barco em uma rapidez inacreditável, não deu tempo nem de ajustar bem a fricção e a linha, 0,60 monofilamento, se partiu ao raspar na estrutura da casa de barco. Foi fantástica a velocidade em que a pirarara nadou e escapou. Em 1 minuto tudo aconteceu!!!

19:00 hs, 26/12, Estávamos no meu quiosque, eu e o David, quando ele percebeu sua vara envergar e o alarme da sua carretilha disparar rapidamente tomando linha, ele correu até sua vara, empunhou-a e iniciou uma bela briga até que ela começou a se dirigir a casa de barco e ele conseguiu encostá-la no barranco, mas não onde ele estava. Ela tinha entrado em baixo da vegetação flutuante em uma parte onde o barranco é muito alto, na frente do quiosque numero 7, que hoje não existe mais, bem na curva do lago. Ela entocou e o David não conseguia tira-la de lá, então fui ajudar e em uma operação complicada, não podíamos perder o troféu, pois pela briga, dava para se ter uma idéia que era uma pirarara grande.

A operação consistiu em primeiro abrir um ponto de recepção na vegetação flutuante, pois ela estava a 2 metros do barranco enroscada, com auxilio de um pedaço de bambu, cuja em uma das extremidades tinha um pequeno galho quebrado, mas com uma ponta suficiente para ao girar o bambu na vegetação, faze-la se enrolar nele travando uma parte, podendo ser puxada até a margem.

Repetindo esta operação algumas vezes conseguimos arrastar toda a vegetação em volta de onde a pirarara estava enroscada e aproximá-la do barranco, o suficiente para com auxilio de cintas especiais que eu tenho para este tipo de manobra, amarrado a uma arvore, pude descer no barranco de frente. Consegui segurar a cabeça dela e em seguida ser puxado para traz, pelo David e seu pai.

Finalmente pesamos e minha mulher registrou o momento com uma pirarara de 29,6 kgs. Toda a operação até a soltura, com ajuda da minha mulher, Sr. Jair, David e eu durou 5 minutos com uso de material adequado e sem entrar no lago à noite, o que é perigoso e não deve ser tentado sem alguém por perto ou devidamente preparado e protegido, por ter aranhas e outros insetos que podem picar, ou mesmo pisar em um anzol enferrujado no fundo do lago, além do fato de causar agitação excessiva no lago e atrapalhar a pesca de outros colegas.

 

Pirarara

Pirarara

 

20:28 hs, 26/12, Eu e o David estávamos indo nos lavar, já na extremidade oposta do lago quando escutamos meu alarme disparar freneticamente e pudemos, de longe, observar minha mulher e seu pai correndo até o conjunto que estava na casa de barco. Os dois sozinhos conseguiram tirar uma pirarara de aproximadamente 13 kgs de dentro da casa de barco pega na cabeça de peixe, manobra não muito fácil.

01:30 hs, 27/12 Descansando na barraca, o alarme é acionado mais uma vez, agora desta vez, na lateral esquerda a qual tinha iscado uma cabeça de peixe totalmente podre e já sem quase carne em volta da cabeça, mas com toda a guelra em seu interior, as iscas estavam ficando escassas e dependia de iscas ofertadas pelos companheiros, no caso o Fabio que tinha ido embora e me deixado algumas. Foi uma pirarara de 16 kgs, pesada e fotografada a qual fechou a noite.

Pirarara

Pirarara

 

Logo ao amanhecer o David e seu pai levantaram acampamento e foram embora felizes para São Paulo e com uma certeza, a pirarara do castelinho briga sem dúvida muito mais que as pirararas de outros pesqueiros, conclusão tirada pelo David, pois recentemente tinha tirado da água algumas pirararas com o mesmo peso em outro pesqueiro, além do fato de ter o diferencial de lutar contra as estruturas e obstáculos do castelinho, o que aumenta em muito a esportividade e testa as habilidades e os equipamentos dos pescadores.

A manhã e a tarde estavam dedicadas à desmontagem do acampamento, pois combinei com minha mulher de ficar pescando ate 21 hs no lago e sair do castelinho por volta das 23 hs.

A desmontagem do acampamento é tão ou mais importante do que a montagem, pois a correta operação vai contribuir muito na manutenção correta de todo o material e facilitar o próximo acampamento e pescaria.

Você deve guardar todos os acessórios que não ira mais utilizar: roupas sujas separadas em sacola plástica, esvaziar os colchões e deixar secar, sempre fica com umidade na parte de contato com a barraca, tirar a barraca do lugar onde esta montada e deixar secar, inclusive as lonas protetoras como já falei no início da matéria. Se conseguir guardar tudo da maneira que veio inicialmente, você terá maior sucesso na sua próxima pescaria e acampamento.

Pronto, tudo acertado para o sétimo e ultimo round, pena que seria parcial,pois iria embora a meia noite, mas tinha muita expectativa, pois tinha chovido muito forte e aumentava minha esperança quanto à pescaria. Estava com os meus 3 conjuntos montados, um na lateral esquerda no barranco, um no meio a 8 metros da margem e um na lateral direita, no esquema de triângulo perto da casa de barco. Todas com cabeça de peixe, menos uma que uma pirambóia viva, recebida de um colega que tinha ido embora, armada na lateral direita perto da casa de barco, a uns 2 metros da entrada.

Meu amigo Guilherme que havia ido embora no dia anterior, retornara e disse que ficaria a noite de domingo para segunda pescando e se eu tinha alguma idéia se seria boa a pesca. Respondi que sem sombra de dúvidas seria muito boa devido a chuva que havia caído e ainda caia com menos intensidade. Resolveu ficar no mesmo lugar que ficara anteriormente e dei as poucas iscas que ainda tinha para ele, pois era minha última rodada de iscas e ainda tinha algumas cabeças de peixe, desta vez cedidas pelo David que tinha ido embora e uma tuvira das 30 que havia trazido.

18:32 hs, 27/12, Guilherme engata sua primeira pirarara da noite, na outra margem do lago, tinha mais ou menos 10 kgs, pega na sardela.

19:17 hs, 27/12,  Guilherme engata sua segunda pirarara com mais ou menos 15 kgs com cabeça de peixe.

19:30 hs, 27/12, o Guilherme ainda estava soltando sua pirarara quando minha vara flexiona e aciona o alarme da carretilha, já estava sem o auxilio dos alarme eletrônicos, e tirei uma pirarara de 13 kg pega na pirambóia. Pesada e fotografada, devolvi rapidamente e falei para o Guilherme que a noite prometia muito.

 

Pirarara

Pirarara

 

20:00 hs, 27/12, não demorou muito para que o conjunto do meio, que estava recebendo alguns ataques de pacu comendo a cabeça de peixe, atraísse uma pirarara que fez mais uma vez o alarme da carretilha disparar. Uma pirarara de 15 kgs, pesada e fotografada se rendeu no meu ponto de recepção já bastante aberto e receptivo.

Pirarara

Pirarara

 

20:30 hs 27/12, Assim que devolvi a pirarara o Guilherme estava brigando com um peixe que tinha atacado sua vara com cabeça de peixe, mas era um tambacu de uns 4 kgs e o estava devolvendo, quando a pirambóia, que já tinha atraído uma pirarara, atraiu outra e acionava o alarme da carretilha. Começa a ultima briga da noite, pois sabia que já tinha de ir embora e agora só tinha duas varas na água, na tática que todo pescador usa, vai tirando uma a uma, lentamente na esperança de pegar um último peixe.

Durante a briga com minha pirarara, que para variar estava na casa de barco ralando a linha, escuto o alarme da minha outra carretilha que estava na lateral esquerda e chamei o Guilherme para me ajudar a tirar a segunda pirarara engatada e este imediatamente correu, dando a volta no fundo do lago, deixando seu equipamento, confiando ao suporte reforçado à responsabilidade até seu retorno.

Em poucos minutos tínhamos realizado um duble com uma pirarara de 16 kgs e outra de 13 kgs, fotografadas e pesadas.

 

Pirararas

Pirararas

No meio do retorno do meu amigo Guilherme ele escutou o alarme da sua carretilha e correu para retirar mais uma pirarara de mais ou menos 10 kgs, enquanto eu retirava a última vara da água, e com a certeza de que estava perdendo uma bela noite de pescaria.

23:00 hs, Saída do Castelinho e o retorno para SP, e é claro com o carro previamente checado e visto a necessidade de passar em um posto para completar o nível de combustível e calibrar os pneus, após sete dias o carro encostado e parado.

Espero ter ajudado os colegas pescadores que conseguiram ler esta matéria até o final, não só por relatar a minha pescaria e acampamento nesta semana de natal, mas também pelas dicas de manutenção, cuidados e técnicas que tomei o cuidado de procurar deixar o mais claro possível. Mas se mesmo assim se sobrarem dúvidas estou sempre disponível através do Orkut: “Bruno Pirarara”,.

Agradeço aos amigos e colegas que compartilharam esta experiência comigo e que ao longo desta puderam ver como uma pescaria e acampamento podem ser bem realizadas com um pouco de planejamento e organização.

Obrigado

Bruno Pirarara
.
.
.
.
.


Gostaria de receber as matérias por e-mail? Cadastre-se aqui!

16 Comentários

  1. Bruno Pirarara em abril 11th, 2011

    Obrigado Márcio por postar a matéria da pescaria e Acampamento do Natal de 2009, Foi uma pescaria inesquecivel não só pelos belos peixes de couro, mas tambem pelo sucesso do acampamento e confraternização com muita paz e lazer.

    Espero ajudar os colegas e amigos que utilizam a pesca de peixes de couro e acampamento e os que estão iniciando.

    Muito Obrigado.

    Bruno Pirarara

  2. erick em abril 11th, 2011

    bela materia brunao..

    qual a melhor isca para as piras no castelinho

  3. David em abril 11th, 2011

    Valeu Brunão!!!!
    Obrigado pela amizade sempre!!!
    um abração

  4. Bruno Pirarara em abril 11th, 2011

    Olha Erick, é dificil falar em melhor isca, pois a pirarara come praticamente de tudo de massa, queijo e salsicha ate carnes (peixes, franco, boi, etc).

    Mas as que obtive mais sucesso e as que mais utilizo são cabeça de peixe e rim para iscas mortas e tilapias, tuviras e piramboias para as iscas vivas.

    Abraços

  5. Rafael Camargo em abril 11th, 2011

    Parabens pela materia Bruno….

    Forte abraço.

  6. Silvio Fishingtur em abril 11th, 2011

    Bruno,

    Novamente show de matéria e de capturas das grandes Piras…. e acampado então, ficou 10!!!

    Parabéns,
    Silvio.

  7. Fernando em abril 12th, 2011

    Realmente só piras que materia espetacular, gostaria de saber se ai no fishingtur não tem uma vaga trabalho vcs sabem uma boquinha estou prescisando me divertir um pouco e de uma renda extra rsrsrsrsrsrs…

    Abraços a todos fuiiiii

  8. joao PesKnadA em abril 13th, 2011

    Bruno parabens pela matéria!!!
    Quem sabe da proxima vez a gente tira aquela pira que da ultima vez perdemos no Deck!! de barco as 4 hras da matina só os locos!!!
    Me passa seu e-mail depois?
    abraços,
    joão Pesknada

  9. Bruno Pirarara em abril 13th, 2011

    Obrigado pelos comentáris Erick, David, Rafael, Silvio, Fernado e João.

    João meu e-mail é brunocorrea19@ig.com.br.

    Obrigado a todos

  10. reginaldo lucera em abril 29th, 2011

    Sem palavras amigo, como estou iniciando nessa modalidade de pesca, acredto ter encontrado o mestre nessa especialidade, costumo pescar em mar aberto e oceanos, travand combates com olhos de oi, bijupiras, atuns, cavalas e olhetes, porem com o nascimento de minha filha, pretendo comecar a pescar em pesqueiros, gostaria de obter o seu e-mail para maiores informacões amigo, no mais agrdeco desde já a compreencão.

  11. Bruno Pirarara em maio 11th, 2011

    Reginaldo Lucera, meu email é brunocorrea19@ig.com.br, pode mandar as duvidas que respondo, mas antes lé as 4 materias que tem aqui no site, principalmente as duas de técnicas e dicas para pesac de peixes de couro e a de acampamento.

    Abraços

  12. reginaldo lucera em maio 15th, 2011

    Obrigado bruno, agradeco a compreencao e pela boa vontade em repassar seus conhecimentos valiosos para n’os pescadores, e sobre as materias, estarei lendo agora mesmo, ate mais.

  13. Sidney em novembro 15th, 2011

    Bruno, parabens pela bela pescaria e pela compania no ultimo dia 12 e 13/11/2011.
    Abraços
    Sidney

  14. Bruno Pirarara em novembro 18th, 2011

    Obrigado Sidney!!!!

    Foi um grande prazer pescar ao seu lado e poder desfrutar da sua compania e bate papos!!!

    è sempre muito prazeroza fazer amizades e confratenizar com os amantes da pesca de peixes de couro!!!

    Espero tb fazer uma nova pescaria ao seu lado..

    Abraços

  15. muryllo dos santos em dezembro 18th, 2012

    Brunão muito obrigado pela sua atenção,materias que não tem como fika sem aprender super detalhistas mostrando passo por passo,continue sempre assim….Agradecido espero um dia podermos pesca juntos e pega muita pira hehehehe valeu !!

  16. Bruno Pirarara em junho 19th, 2013

    Obrigado Muryllo, acompanhe pelo meu face e aqui nas materias do fishingtur, vai ser um prazer podermos pescar juntos.

    Abraços


Fatal error: Call to undefined function show_subscription_checkbox() in /home/storage/b/dc/e9/fishingtur/public_html/wp-content/themes/ad-clerum-10/comments.php on line 101
xxxx