Reportagens

FishingTur

Olha aí

Interativos

Anúncios



Pesqueiro Córrego das Antas – Nosso amigo Marcio Thiago em sua primeira visita ao Córrego

Local: Pesqueiro Córrego das Antas  -  Glicério – SP
Data: 21 a 25 de março de 2011

Olá Amigos

Aproveitando as minhas férias, resolvi ir pescar novamente com minha mulher ( Bruna ). Só que dessa vez fomos conhecer o famoso Córrego das Antas, onde é conhecido por ter os peixes gigantes!

Saímos de São Paulo dia 21/03 por volta das 6:00 da manhã e chegamos mais ou menos 12:00h, o tempo estava meio nublado, porém, estava bem quente!

Logo que chegamos e descarregamos as coisas no chalé, resolvemos ir pescar um pouco. Como nunca tinha ido, não conhecia nada do pesqueiro, os conhecimentos que tinha era somente apenas pelas matérias anteriores aqui do site e que por sinal me ajudaram muito!

Levei diversos tipos de varas, pois não sabia como era a força dos peixes por lá. Nno primeiro dia, fiquei no aterro desde a hora que eu cheguei até escurescer. De fundo, isquei pintinho, minhocoçu e tilápia viva. Na bóia usei pintinho, minhocoçu, cabeça e filé de tilápia.

Até o anoitecer não tinha pego nada, então resolvi mudar de lugar e fui para frente do restaurante. Ao iscar o filé de tilápia comecei a ter os resultados e dessa forma engatei meus primeiros tambacus.

Tambacu

Tambacu - Marcio Thiago

Tambacu

Tambacu

Tambacu

Tambacu

 

A noite, continuamos a usar as mesmas iscas de fundo para tentar pegar as pirararas e da mesma forma que foi a tarde, não pegamos nenhuma. O que estava dando pra brincar bem, era com os tambas, com a bóia torpedo e com chicote de uns 40 cm, cada arremesso era uma ação.

Nessa noite ainda perdi uma bóia na corrida do peixe durante a briga, senti que era bem pesado e muito bravo, não sei se era tamba ou se por acaso tinha fisgado uma pira, mas do primeiro dia até o último que fiquei, não consegui recuperar a bóia. O peixe aparecia uma vez e outra e sumia!

Depois de pegar mais alguns tambas, e não ter nenhuma ação das pirararas, resolvemos ir dormir, isso era por volta de quase meia-noite,  aliás, todos os dias que tentei pescar a noite, só fiquei até esse horário, não sei porque, mas as piras não estavam saindo nesses dias!

No segundo dia ( 22/03 ), resolvi tentar pescar mais uma vez no aterro.

Acordei por volta de umas 8:00h e usei as mesmas iscas que tinha usado no dia anterior. Até 12:00h não tinha pego nada, então resolvi mudar de lugar novamente e ficar de novo em frente ao restaurante.

Foi lá, onde novamente conseguir ter algumas ações, onde fisguei alguns tambas a tarde.

 

Tambacu

Tambacu - Marcio Thiago

Tambacu

Tambacu

 

Por volta das 16:00h, minha bóia afunda e dou a fisgada certeira, só que na fisgada minha linha estoura bem no meio. Dei sorte que logo em seguida, a minha linha enroscou na vara em que a Bruna estava pescando, o peixe começou a correr tanto que estava levando a linha toda do carretel, foi onde tive que subir no barco e ir atrás.

Nessa corrida o peixe enroscou na bóia de outro pescador que estavam na margem oposta. Pedi prá ele soltar a linha, pois o peixe não parava de correr, no meio da briga, a linha estoura novamente por ter pego em algum enrosco. Só que por ter enroscado na bóia do pescador da margem oposta, a briga passa a ser com ele agora, só que da mesma forma, o peixe não para de puxar a linha e também estava acabando com o carretel todo.

Então vou com o barco até ele e fomos atrás do peixe, parece brincadeira, o peixe fez tipo um zig-zague, pois fisguei ele de um lado e ele tomou linha até a outra margem, depois voltou novamente a margem que eu estava. O peixe só parou porque enroscou nos troncos que ficam  perto dos aguapés. Quando cheguei com o barco, o outro pescador levantou a linha e viu que o peixe ainda estava fisgado, dizendo:

- Pede prá alguém trazer o puça, porque é uma pirarara e das grandes ! ! ! !

Quando grito prá Bbruna pegar o puça, o peixe da uma tomada de linha e bate no tronco quebrando a linha. Toda briga em vão, mas tudo bem,  só não conseguimos tirar, pois estavamos com material para pescar os tambas, se tivessemos com varas e carretilhas próprias para as pirararas, talvez tivesse mais sorte, mas a pescaria continuou.

Ao anoitecer, tivemos a primeria ação nas varas que estavam iscadas para as pirararas. Isso era por volta das 19:30h quando fisgamos a primeira pira, uma briga fenomenal, corrida de mais de 100m de linha, quem travou essa briga com a pirarara foi a Bruna, durou cerca de 25min de briga até ela se render. Uma Pirarara que deu uns 30kgs.

 

Pirarara

Pirarara

Pirarara

Pirarara

 

Em torno de trinta minutos depois, novamente tivemos outra ação, dessa vez, foi eu quem travou a briga com a pira. Na primeira corrida que ela deu, começou a tomar tanta linha, que estava quase acabando com o carretel, então resolvi travar toda a fricção, como estava de molinete e bem velho por sinal, rs, o coitado não aguentou, a pira continuou tomando linha e o molinete simplesmente destravou a friçcão, fazendo com que soltasse um monte de linha, nisso que embolou toda a linha, parecendo uma cabeleira, a pira seguiu puxando. A única coisa que tive que fazer foi deixar a vara reta e esperar estourar a linha.

Foi uma chicotada, um estalo tão grande, que até outros pescadores gritaram:

- tiro não vale ! uahuahua

Depois de perder nessa briga, pesquei mais um pouco e acabei pegando mais uns 3 tambas.

Tambacu

Tambacu

No jantar conversei com alguns pescadores que estavam por lá, e eles me disseram que estavam pegando muitos tambas com a cabeça de pintinho. Só que eles cevavam antes com os pintinhos e depois jogavam a bóia em cima da ceva.

No dia seguinte ( 23/03 ) resolvi fazer esse teste. Após o caminhão chegar com os pintinhos peguei uma caixa para usar de ceva.

Fui com o barquinho e cevei com um balde pequeno, só foi o tempo de voltar a margem e ver as explosões na água. aói só foi arremessar a bóia com a cabeça de pintinho em cima da ceva. Neste dia, foi um tamba atrás do outro. Peguei muitos, mais muitos tambas, a maioria deles todos acima de 20kgs.

 

Tamba

Tamba

Tambacu

Tambacu

Tamba

Tamba

Tambacu

Tambacu

Tambacu

Tambacu - Marcio Thiago

 

Tambacu

Tambacu

Quando eram umas 16:00h, já estava com os braços todo dolorido. A noite por volta das 21:00h, fisguei uma bela pirarara que dava uns 25kgs.

 

Pirarara

Pirarara

Pira

Pirarara

E essa também rendeu uma bela briga, onde tive que até ir de barco atrá dela, pois a tomada de linha também foi coisa de gente grande. Até tinha pensado que seria maior, mas não era grande, porém a briga valeu e muito.

Ainda nesta noite, o amigo pescador Fabio que tinha me dado a dica de cevar com os pintinhos, fisgou um belo tambacu que deu seus 31 kgs, onde nós pesamos para não ter duvidas do tamanho da criança .

 

Tambacu

Tambacu 31 kg

Após esse peixe fisguei alguns pequenos tambas e resolvi ir dormir pois o dia tinha sido muito bom e estava cansadaço!

 

Tambacu

Tambacu

 

Já no dia seguinte, ( 24/03 ) comecei a pescar por volta de umas 9:00h.

Esperei novamente o caminhão dos pintinhos chegar para fazer o mesmo tipo de pescaria.  E não deu outra, novamente o dia foi recheado de belos tambas.

 

Tamba

Tambacu

Tamba

Tambacu

Tambacu

Tambacu

 

A tarde por volta das 18:00h, fisguei mais uma boa pira que dava uns 15kgs, briga que rendeu uns 15min.

 

Pirarara

Pirarara

Pirarara

Pirarara

 

Na parte da noite, não tive nenhuma ação de pirarara, somente fisguei alguns tambas, no mesmo sistema dos pintinhos como os outros dias, fui dormir por volta da meia noite e também bem cansado por mais um dia produtivo.

Tambacu

Tambacu

Tamba

Tamba

Tambacu

Tambacu

Tambacu

Tambacu

 

No último dia ( 25/03 ) pesquei somente atáe a hora do almoço, pois era o dia de vir embora e encarar uma longa viagem. Neste dia comecei a pescar por volta das 10:00h e já no sistema de ceva com os pintinhos fisguei uns 8 tambas atá a hora de ir embora, mas a maioria foi de porte pequeno, somente um deu prá render uma foto.

 

Tambacu

Tambacu

O que fez marcar esse último dia de pescaria, foi um fato que me aconteceu:

Em todos esses dias de pesca, tive muitas linhas estouradas, anzois abertos e 4 bóias perdidas. Era por volta de 12:00h quando umas das minhas bóias apareceu, resolvi ir atrás dela para saber que peixe que estava fisgado.

Então peguei o barquinho e fui atrás. Demorei uns 20 minutos até conseguir enroscar meu “salva-bóia”. Aí começou uma briga tremenda.

 

Briga com o peixe

Batalha com Tambaqui

Parecia que o barco estava até com motor elétrico, de tanto que o peixe puxava o barco. Depois de uns 15min. de briga, o peixe deu uma pranchada e mostrou a cara. Era um tambaqui, mas um tambaqui imenso, nunca tinha visto um tambaqui daquele tamanho!!! E olha que já peguei tambacu de 30kgs!!!

Aí nesse momento, minhas pernas e meus braços tremeram, pois pensei comigo:

- como vou tirar esse peixe daqui?

Então travei a vara entre as pernas e começei a remar até a margem. O problema era que remava uns 10 metros pra frente e o tambaqui me puxava os 10 metros pra trás. Parecia um cabo de guerra.

Até que uma hora ele deu uma corrida e que acabou quebrando a vara no meio, aí a adrenalina foi a mil. Entrei em um desespero tão grande, pois queria a todo custo tirar aquele peixe prá saber o quanto pesava, pois era muito, mais muito grande.

Como estava no desespero nem pensei em várias outras alternativas que poderia dar certo pra tentar tirar o peixe, e nesse meu desespero com a vara quebrada, peguei no chicote da linha e tento segurar pra trazer o peixe pranchando pela flor d’agua, foi questão de segundos que aquela toda minha alegria virou em frustação, pois como segurei o chicote da bóia, o peixe deu uma cabeçada e a linha pegou no barco, onde acabou estourando.

Voltei para a margem com a vara quebrada e com uma frustação enorme de ter perdido o peixe que poderia ser o maior de todos que já pesquei.

Mas tudo bem, o prazer da pescaria é isso mesmo. Nem sempre temos sucesso e por isso que voltamos novamente pra tentar pegar sempre o maior peixe!!

Por ter sido a primeira vez que fui ao Córrego e por não conhecer muito bem as formas e as iscas que dão mais resultados, saí bastante satisfeito pela produtividade.

Não sei porque, mas nesses dias, sairam poucas piras,  nem o seu Natio (dono do pesqueiro) soube dizer o porque disso.

Fica uma dica prá quem for a primeria vez: Tente levar sempre o maior número de iscas, pois as vezes o pesqueiro não terá muitas opções de vendas de iscas como aconteceu nessa vez que fui.

A viagem é longa, mas vale muito a pena. Nas próximas férias, estarei lá novamente. Só que agora com maiores expectativas por já saber o que levar e como pescar!!!

Valeu por deixar o relato de mais uma pescaria no site.

Abraços

Márcio Thiago

AGRADECIMENTOS

Pesqueiro Córrego das Antas
www.pesqueirocorregodasantas.com.br

Bóias Barão
www.boiasbarao.com.br

Massas Paturi
www.massaspaturi.com.br

Net Pesca
www.netpesca.com.br
.
.
.
.
.


Gostaria de receber as matérias por e-mail? Cadastre-se aqui!

12 Comentários

  1. Fernando Mena em abril 14th, 2011

    MUITO BOA!

    DA PRÓXIMA ACREDITO QUE VC TIRA O JURASSICO!

    ABRAÇO1

  2. Richard Passada em abril 14th, 2011

    Bela pescaria, Parabéns.
    Uma pergunta, qual o valor da isca, pintinho? nunca usei esse tipo de isca em são paulo, será que funciona nos pesqueiros daqui?Desde já agradeço.

  3. Gustavo em abril 14th, 2011

    Parabéns cara uma linda pescaria, com muitos tambas e belas piras…abç.

  4. Silvio Fishingtur em abril 14th, 2011

    Marcio,

    Show de bola amigão… agora é retornar para tirar satisfação com o Tamba que quebrou a sua vara!

    Abraços e Parabéns pela excelente pescaria.

    Silvio.

  5. marcio – japa em abril 14th, 2011

    fala ae pessoal!!!
    entao fernando e silvio, com certeza irei voltar pra tentar fisgar e tirar uma tambaqui daquele.
    parece mentira, mas nunca vi um tamba daquele tamanho. sem exagerar, imagine um tamba sendo 2x o tamanho do tamba da segunda foto.. coisa de loko!!!

    então gustavo, la o pintinho é vendido a caixa por 10,00… deve ter uns 30 kg!!! é pintinho pra kct!!!! mas so se usa lá por que eles devem ter um tipo de acordo com alguma granja de birigui…

    valeu gustavo, silvio, fernando e richard pelos comentarios!!!!

  6. fabio em abril 15th, 2011

    Fala Japa, fmz?!?!

    Até que pra marinheiros de primeira viajem a gte se saiu bem, fala ae…

    Mas é como vc disse, na proxima a gte ja sabe por onde começar!!!!

    Show de bola, naum vejo a hora de voltar la tb.

    (ve se naum esquece de comprar mais boias, rss)

    Abçss

  7. marcio – japa em abril 15th, 2011

    fala ae fabio!!!
    blz mano??
    é verdade, pra primeira vez ate que conseguimos ter bons resultados!!
    pra proxima fica a expectativa de tirar as pira gigante!!!
    pode deixar que levarei um estoque e boia uhauhaua

  8. cristiano em abril 17th, 2011

    e japoneiiii… a melhor foto foi a sua no barquinho mano, chorei de rir kkkkkkkkkk
    Bela matéria thiago!!!
    Vc ta me devendo uma pescaria aqui em Piracicaba em mermão, nao esqueci não.

    Parabens mesmo, Bela matéria!

  9. marcio – japa em abril 18th, 2011

    vlw cris!!!!!

    é kente, to devendo mesmo!!!
    mas pode deixar que uma hora da certo!!! kkk

  10. cristiano em abril 20th, 2011

    Ah mano, aquele humildade sua sumiu truta…
    esqueceu dos mais pobres né kkkkkkkk
    mais ta valendo!
    Abraço Tru

  11. Rodner Gueler em abril 29th, 2011

    Esse meu professor não é fraco não… Grande abraço Thiago. Grande matéria, nem precisava ser grande exemplares. Parabens!!!

  12. fernando acorci em maio 31st, 2011

    Deuu prejuízoo em Marcioo!
    shauohsouaoushahoushouasouah
    ja até mandei arruma ja!
    too indo pra laa agr dia 25/05, vai ta frio, mais se deus quize voo traze a gigante em


Fatal error: Call to undefined function show_subscription_checkbox() in /home/storage/b/dc/e9/fishingtur/public_html/wp-content/themes/ad-clerum-10/comments.php on line 101
xxxx