Reportagens

FishingTur

Olha aí

Interativos

Anúncios



Pesqueiro Córrego das Antas – Nossos amigos da Penn-raíba em mais uma super aventura

Local: Pesqueiro Córrego das Antas – Glicério – SP
Data: Março de 2012

Olá Amigos, nesta matéria vamos descrever passo a passo como foi nossa ótima pescaria com os gigantes do Córrego.

Um local que muitos de vocês já conhecem mas que ainda é desconhecido por alguns pescadores.

Apesar de estar em uma região pouco privilegiada, relativamente distante em relação aos grandes centros urbanos, vale muito a pena conhecer e quem já foi com certeza faz questão de voltar. Além de ter o lago principal para pesca esportiva de beleza rara e de grandíssimo porte, possui um atendimento diferenciado aos clientes, fato cada vez mais raro no mundo de hoje. É claro que não podemos esquecer de mencionar os protagonistas que fazem deste Pesqueiro uma das melhores opções de pesca esportiva do estado, os monstros que habitam aquelas águas, com grande destaque às pirararas que aqui passam dos 60kg, e aos enormes redondos (tambacús e tambaquis) que também passam da casa dos 40kg. Além disso aqui se encontram muitas carpas (húngaras, capim e cabeçudas), traíras, pintados e cacharas, pacus,  muitos dourados de até 10kg, e ainda outras espécies.

Bom, vamos à pescaria:

Saímos da cidade de Rio Claro rumo a Glicério no dia 20 de março, por volta das 13h00. O trajeto todo é composto basicamente por pista dupla e de excelente qualidade, fazendo com que a viajem seja tranquila e muito segura, em contra partida é grande o número de pedágios.

Chegamos ao Pesqueiro às 17h00 e fomos ao encontro de um grupo de amigos pescadores aqui de nossa cidade que haviam chegado 2 dias antes. Recomendamos a todos sempre dar uma volta pelo lago, independente do pesqueiro, para saber das notícias e peculiaridades do momento. É muito importante saber se há alguma tendência nas ações dos peixes em relação ao local, à isca e distância da margem, para saber quais são as maiores chances de capturar as nossas queridas e amadas Pirararas, nosso carro chefe.

Ao contrário do que acontece na prática em muitos casos, nós pescadores temos que nos ajudar e não ficar “escondendo o ouro” para que somente nosso grupo pegue peixe. Exemplo maior é a nossa iniciativa de escrever matérias sempre muito completas, tentando ajudar ao máximo para que todos tenham êxito em suas pescarias, deixando de lado aquele espírito de competição que às vezes vemos por aí.

As informações que tivemos dos pescadores que já estavam no pesqueiro há alguns dias, não foram nada animadoras. Pouquíssimas ações de Pirararas e até os redondos gigantes não estavam subindo na ceva. Sabíamos que nossos esforços teriam que ser redobrados mas não desanimamos.

Cerca de 2 horas depois a tralha já estava armada e as linhas na água. Abaixo seguem os equipamentos utilizados:

Pesca de Pirararas:

Vara Araty White Hawk de 1,80m com carretilha PENN 25GLS – 130m de linha 0.90mm da Rapala.

Penn

Vara Triforce de 2,02m para 120lbs com carretilha PENN 40GLS – 160m de linha 0.90mm da Araty Ocean.

Penn

Vara Araty White Hawk de 1,80m com carretilha PENN SENATOR 112H 3/0 – 200m de linha 0.74mm e 250m de linha 0.74mm da marca Lasso.

Penn

 
Vara Max Fish 1,80m para 60lbs com carretilha PENN 500 JIGMASTER – 200m de linha 0.74mm da marca Lasso.

Penn

Vara Yamato de 1,80m para 80lbs com carretilha PENN 310GTI – 200m de linha 0,60mm da marca Lasso.

Penn

Vara Araty White Hawk de 1,80m com carretilha PENN SENATOR 111 2/0 – 150m de linha 0.75mm.

Penn

 

Pesca de redondos:

Vara Albatroz Caranha de 3,02m para 60lbs com carretilha PENN SQUIDDER 145P – 200m de linha 0,52mm da marca Lasso.

Penn

Vara Albatroz Caranha de 3,02m para 60lbs com carretilha PENN 970MAG – 200m de linha 0,50mm Onix.

Penn

De início armamos acampamento nos pontos bem em frente ao restaurante, nossos amigos de Rio Claro que já estavam por ali haviam pego algumas tilápias durante o dia, e assim tínhamos as iscas daquela noite garantida. Além de bons pescadores nossos amigos Paulo, Fábio, Pé e Jason são gente finíssimas, então resolvemos fazer companhia e aproveitar para botar a prosa em dia.

Diferentemente de outros pesqueiros por aí as tilápias podem ser usadas de isca sem custo ao pescador, já que estão em grande quantidade pelo lago, e por esse mesmo motivo são de fácil captura, além de serem uma excelente opção. E foi justamente na cabeça de tilápia que tivemos a primeira ação ao cair da noite. Por volta das 19h00 dispara o forte alarme da carretilha Penn 67 de nosso amigo Jason, e como os peixes de lá são muito fortes a briga foi muito intensa e o resultado foi uma bela pirarara com seus 29Kg.

 

Pirarara

Pirarara 29kg - Jason

As expectativas que antes eram poucas ,devido aos comentários dos pescadores em torno do lago de que as Pirararas estavam pouco ativas, logo aumentaram. Afinal, havia saído uma grande Pirarara em menos de uma hora de pescaria e isso sempre anima. Mas parece que gastamos nossa sorte cedo demais, somente sete horas depois tivemos mais uma ação.

Desta vez foi o alarme da carretilha Penn Senator 4/0 do nosso amigo Pé que gritou, e mais uma vez na tilápia, só que agora em uma viva iscada pelas costas. Apesar de menor que a primeira Pirarara a briga foi de igual para igual mas sem grandes problemas, e logo saiu mais uma para as fotos.

 

Pirarara

Pirarara 17kg - Pé

Assim como acontece em outros pesqueiros, as Pirararas pareciam atacar em ondas. Outros grupos de pescadores, mesmo em pontos bem distantes de nós, haviam tido ações em tempos muito próximos e não demorou muito para novamente a Penn 67 do Jason fazer um barulho assustador. A linha saía com muita velocidade e nesse momento eu (DANIEL) estava mais próximo à vara dele e acabei “ferrando” a danada.

Logo senti que se tratava de uma pirarara de grande porte e mesmo com a fricção extremamente fechada, a linha 0.90mm da Asso HT saia como se estivesse com a fricção aberta. O Jason ficou apavorado quando percebeu que ela estava nadando com extrema facilidade para a ponte que está submersa, no canto direito do lago e achou mais seguro dar um último aperto na fricção, tentando evitar que ela chegasse aos enroscos.

Mal sabíamos que a linha já estava trabalhando no limite e ao fechar mais a fricção, ouvimos um “estalo” que ressoou por alguns segundos em meio ao silêncio da madrugada. Foi muito frustrante e nesse momento todos tentaram confortar o Jason que obviamente ficou bastante abatido.

Depois de alguns minutos do ocorrido vieram os palpites do que deveria ser feito e se ele acertou ou não em fechar mais a fricção. O que acontece, é que só quem passa por uma experiência dessas pode entender que muitas vezes não há o que ser feito. A sorte precisa estar ao nosso lado quando cruzamos com uma Pirarara grande e a briga nunca é de igual para igual, independente do equipamento.

Passado esse momento triste, as ações continuaram e em poucos minutos finalmente dispara o alarme da nossa Penn Special Senator 112H. O Felipe saiu correndo em disparada e logo fisgou a nossa primeira da noite e da pescaria. Pela briga parecia que era uma das boas e apesar dos seus 19Kg a briga foi de gente grande, realmente deu muito trabalho o que provavelmente era um macho, devido a extrema força em relação ao peso.

 

Pirarara

Pirarara 19kg - Felipe

Nessa altura eu e o Felipe já estávamos cansados e somando o desgaste da viagem parecia que nossas baterias não iam durar por muito tempo. Mas sabíamos que tínhamos que aproveitar o momento e 40min depois de soltarmos nossa linda Pirarara, a carretilha Penn 45GLS do nosso amigo Fábio, que já estava dormindo há um bom tempo, gritou e gritou alto.

Fui em direção a carretilha dele e após colocar a alavanca na posição “STRIKE”, já que a carretilha 45GLS é do tipo Lever Drag, soltei o braço. Logo nas primeiras corridas percebemos que era uma das grandes e o Felipe achou melhor acordar o Mané, apelido do nosso amigo dorminhoco…rs.

Não é toda hora que bate algo grande e ele estava louco para estrear a carretilha nova. O Mané saiu meio perdido e demorou um tempo para perceber que era uma das grandes. Depois de uns 20min de briga limpa saiu uma bela Pirarara de 35Kg.

 

Pirarara

Pirarara 35kg - Fabio

Aproveitando o momento, resolvemos ficar acordados e logo veio a recompensa. O alarme da nossa Penn 25GLS começa a cantar e no esquema de rodízio que Eu e o Felipe adotamos, agora era a minha vez. Ferrei com toda a vontade de sempre, mas desta vez era uma Pirarara que brigava sujo e deu muito trabalho para tirá-la da água. Ela foi direto para a margem à nossa esquerda e tentou enroscar nas varas que estavam por perto.  Com a ajuda de todos, tiramos ela da água e saiu para as fotos nossa segunda Pirarara da pescaria.

 

Pirarara

Pirarara 23kg - Daniel

Passada mais uma hora, agora por volta das 4h50 da manhã, novamente a carretilha Penn Senator 4/0 do nosso amigo Pé, começa a sair linha lentamente. Nesse momento somente Eu, o Felipe e ele estávamos acordados e em uma fisgada certeira ele ferrou mais uma das brutas que habitam aquelas águas. Mais 20min de briga forte e a lindona de 28Kg se rende aos braços do pescador.

 

Pirarara

Pirarara 28kg - Pé

Nesse momento as tilápias estavam se esgotando e como praticamente todas as Piras saíram na tilápia, resolvemos descansar para que no outro dia acordássemos cedo para pescar bastante isca.

 

SEGUNDO DIA:

Acordamos por volta das 11h00 e fomos atrás das iscas, batemos toda a margem em que estávamos com cabeça de tilápia bem pequena em um varão grosso de bambu, a procura de traíras. Elas são excelente isca para Pirararas, tanto vivas como em pedaços, mas só obtivemos êxito na margem oposta do restaurante, logo depois do último quiosque quando começa o capim.

Já para capturar as tilápias de grande porte, acima dos 300g, utilizamos boia cevadeira e anzol de robalo com EVA e miçangas ambos da cor de ração. Os arremessos eram bem no meio do lago e de vez em quando entrava outras espécies de peixes como os redondos e até mesmo carpas húngaras.

 

Carpa

Carpa Húngara - Felipe

Depois de capturar muitas tilápias e algumas traíras, tínhamos garantido iscas suficientes até para o próximo dia.  Em Setembro do ano passado foi nossa primeira vez no Córrego das Antas e tivemos bastante sucesso na margem do aterro, que fica à esquerda do restaurante.

Resolvemos mudar para lá na esperança de novamente acertar a mão e garantir boas Pirararas. Nosso grupo de amigos ficou no local em que estavam anteriormente e passaram o resto do dia fisgando grandes redondos no torpedo. Existem Tambacús e Tambaquis que ultrapassam os 40Kg no lago e nossos amigos estavam em busca desses gigantes.

 

Tralhas

Tralhas na margem do aterro

(ATENÇÃO: note o bote ao lado, prática que agora passou a ser proibida no Córrego)

Com a tralha armada novamente, ficamos a espera da primeira ação do dia que só veio acontecer por volta das 19h30. O alarme da nossa Penn 310GTI que estava com uma cabeça de traíra disparou, e como estava na vez do Felipe ele não pensou duas vezes e ferrou com força. No aterro deve-se ter muito cuidado com as pedras afiadas que estão submersas na margem e também com o aerador/batedor.

Logo de início parecia ser umas das grandes e o Felipe estava bastante apreensivo com a estranha briga que estava lidando. Depois de mais de 20min e muita dor nos braços saiu a Pirarara que achávamos ser a maior da pescaria desde então. De imediato notamos que o anzol havia escapado da boca e ficado preso bem no lombo próximo à nadadeira caudal, deixando a natação do peixe completamente livre e explicando a tremenda força que fez esse peixe.

 

Pirarara

Pirarara 16kg - Felipe

Apesar do longo tempo de espera, parecia que o Aterro iria fazer jus à fama de local de bons peixes. Passado cerca de uma hora, uma nova ação, desta vez na traíra viva que estava na Penn Jigmaster 500. Não dei chance para que ela escapasse ou largasse a isca e após uma ferrada violenta veio uma briga deliciosa. Desta vez a Pirarara correu para o meio do lago fazendo com que eu pudesse ficar tranquilo e até soltar um pouco a fricção para ela cansar bastante antes de retirá-la da água. A Pirarara que pesou 27Kg era bem comprida e de cor clara, coisa mais linda.

 

Pirarara

Pirarara 27kg - Daniel e Felipe

Mais uma vez elas saíram para comer em bando e pouco tempo depois o Felipe fisgou mais uma, essa um pouco menor na casa dos 15Kg, desta vez na Penn Senator 111 2/0.

 

Pirarara

Pirarara 15kg - Felipe

Nesse meio tempo o cliente e amigo Rogério Fava, frequentador assíduo e exímio conhecedor do local, chegou ao pesqueiro e resolveu nos fazer companhia. Havíamos combinado que estaríamos nesses dias por lá e como ele mora a cerca de 60Km do pesqueiro, resolveu dar um pulo e nos conhecer pessoalmente.

Antes de vir para o Córrego, o Rogério passou em seu sítio para pegar algumas iscas que ele mesmo cria. Ele trouxe piaus, curimbatás e traíras juvenis que são verdadeiras joias e excelentes para as Pirararas.

Após perder algumas fisgadas ele logo engatou uma das grandes em sua bela Penn 180. A briga foi espetacular e depois de cansá-la ela saiu para as fotos e a alegria foi geral.

 

Pirarara

Pirarara 29kg - Rogério e Felipe

Tivemos outras ações de peixes naquela noite, mas os peixes estavam largando, possivelmente redondos tentando engolir nossas grandes iscas. Resolvemos descansar para estarmos inteiro no próximo dia que seria o último.

 

TERCEIRO DIA:

Acordamos por volta das 11h00 novamente e fomos atrás de mais iscas, exatamente como no dia anterior. Depois de mais algumas traíras e grandes tilápias fizemos o tradicional almoço de cada dia: CHURRASCO. A carne dos açougues de Glicério é excelente e com preço bem razoável. As churrasqueiras disponíveis no Córrego estão em bom estado e é sempre muito prazeroso comer um belo churrasco com os amigos na beira do lago.

Enquanto estávamos comendo deixamos as varas armadas no aterro e ficamos na espera. Em certo momento, nossa Penn 25GLS começou a gritar e estávamos a mais de 300m de distância. O Felipe saiu em uma disparada que até o recordista Usain Bolt teria ficado para traz… rs. Quando o Felipe chegou até a vara, a Pirarara ainda puxava linha com muita velocidade e a ferrada foi quase que como fisgar um enrosco dos bons.

Sem conseguir enrolar um metro de linha, ele colocou a alavanca da fricção na posição “Full”, que é o máximo que  a linha aguenta antes de se romper esperando conter um pouco a corrida do peixe que parecia não ter limites. Como é conhecido dos grandes exemplares, à medida que ele apertava mais a fricção a pirarara aumentava ainda mais a velocidade e força, e sem ao menos conseguir girar a manivela ela simplesmente escapou, o inexplicável aconteceu.

Ficamos extremamente frustrados, pois sabíamos que era nosso recorde no Córrego, o Felipe não se aguentou e ficou por um bom tempo calado e com um semblante de poucos amigos. É sempre muito triste quando isso acontece, temos que continuar tentando e sempre utilizando excelentes equipamentos para quando encontrarmos com as gigantes, estarmos preparados para combate. Isso tudo faz parte da magia desta arte que se chama Pescaria.

Após esse episódio lamentável o tempo começou a fechar dando sinais de que vinha chuva forte. No primeiro momento ficamos animados pois é sempre bom chuvas fortes e rápidas para a pesca de Pirararas, mas quando a tempestade chegou vimos que não se tratava de uma chuva passageira. Junto com a chuva veio o vento, rajadas que pareciam um tornado. Só nos restou ir para nosso chalé se abrigar da chuva e esperar o tempo melhorar.

Passadas mais de 4 horas a chuva ainda caía com violência e o corpo não aguentou, caímos no sono e só acordamos na manha seguinte. Arrumamos a tralha e partimos de volta para casa bastante chateados e completamente exaustos. A pescaria não foi das melhores, se tratando do Córrego das Antas, mas ainda assim fisgamos excelentes peixes e passamos ótimos momentos em um lugar maravilhoso e com pessoas que gostamos muito, precisa de mais?

 

Tuiuiús

Grupo de Cabeças-Secas na beira do lago

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Agradecemos primeiramente ao Marcio David e todos da Equipe Fishingtur, por nos dar mais uma vez esta oportunidade.

À Thamyres Sanches, responsável pela recepção e restaurante, por todo apoio e pelo atendimento espetacular que nós recebemos nos dias que passamos lá;  aos seus pais Daniel e Fátima; ao Natio, proprietário do local, e ao Natalino funcionário do Córrego desde o início de seu funcionamento.

Aos nossos queridos amigos:

Paulão

Pailão, proprietário do Pesqueiro Santantonio

Jason

Jason

Fabio

Fabio

Pé

Zé

Zé Caipira

Nosso amigo e cliente Zé Caipira, pescador dos bons e uma pessoa maravilhosa. Parabéns pelos Tambas gigantes, incluindo dois Tambaquis puros, Zé!

Adriano

Adriano

Adriano, ganhador da Penn 85 do Penn Raíba no concurso acerte o peso do tambaqui. Detalhe interessante é que ele estava com mais dois pescadores e vários outros conjuntos armados para pirararas, mas nos 3 dias de pesca deles TODAS as ações (e não foram poucas) foram nesta carretilha, gerando até brincadeiras a cada vez que se ouvia um alarme vindo do grupo deles “olha a 85 da sorte de novo Adriano!!!”…. Vai entender!

Agradecemos em especial a todos vocês leitores, clientes e amigos em geral.

Tabela de preços do Pesqueiro Córrego das Antas:
“”Valores em Março/2012″”
 
ACOMODAÇÕES
(As reservas terão que ser feitas com antecedência)

Quiosque – 1 cama de casal + 2 camas de solteiro ou 3 camas de solteiro, ar condicionado e banheiro  coletivo.
Segunda a Quinta. = R$50,00 o quarto
Sexta, Sábado, Domingos e feriado = R$70,00 o quarto

Chalé – 1 cama de casal + 2 camas de solteiro ou 4 camas de solteiro, banheiro privativo, ar condicionado, TV e frigobar.
Segunda a Quinta = R$90,00 o quarto
Sexta, sábado, domingos e feriado = R$120,00 o quarto

Camping – R$ 15,00 por barraca

RESTAURANTE

Servem almoço de segunda a sábado, R$13,00 o prato comercial e aos domingos self-service R$16,00 por pessoa.
Marmitex todos os dias – almoço e janta R$9,00 cada
Refrigerantes, Cerveja, H20, Água e Pastéis, todos os dias com excelentes preços!

PESCARIAS

Diurna:
Segunda a Quinta = R$15,00
Sexta, sábado, domingos e feriados = R$18,00
Acompanhante = R$2,00

Noturna ou Pernoite (pescando ou não):
Segunda a Quinta = R$15,00
Sexta, sábado, domingo s e feriados = R$18,00

ISCAS
Massa e ração = R$2,50 o balde
Iscas vivas = R$2,50 cada

Matéria realizada por Penn-Raíba Carretilhas
Texto: Daniel Martinez
Fotos: Felipe Naous e Daniel Martinez

 

AGRADECIMENTOS

Pesqueiro Córrego das Antas
www.pesqueirocorregodasantas.com.br

Fishing Master
www.fishingmaster.com.br

Bóias Barão 
www.boiasbarao.com.br

Massas Paturi
www.massaspaturi.com.br

Império da Pesca
www.imperiodapesca.com.br
.
.
.
.

 

 


Gostaria de receber as matérias por e-mail? Cadastre-se aqui!

17 Comentários

  1. PEDRO PADOVAM em maio 17th, 2012

    OLA AMIGOS DA PENN RAÍBA, BÉLA MATÉRIA O CORREGO DAS ANTAS É UMA MORADA DE GRANDES GIGANTES, EU SÓ FUI 2 VEZES, AINDA NÃO ACERTEI AUELA PESCARIA,MAS O FIM DO ANO ME AGUARDA LÁ !!!!!
    ABRAÇOS EM ESPECIAL AO FELIPE E AO DANIEL E A TODOS PESCADORES E FREQUENTADORES DO CORREGO !!!

  2. Ricardo em maio 17th, 2012

    Boa pescaria….e a matéria ficou show. Pena que as gigantes escaparam. Abs.

  3. Leandro japones em maio 17th, 2012

    Galera da penn raiba, parabéns grande materia, corego despenssa comentario lá é show so bitelos, tive no final de março e pegamos grande tamba e grandes pira uma inclusive acima dos 40 kilo, perder o peixe faz parte,

    parabéns !!

  4. José Levy em maio 17th, 2012

    Bem eu sou suspeito de falar, sou tão apaixonado por pirararas que fiz uma tatoo de uma nas costas, e o show de matéria valeria a pena somente pelas maravilhosas carretilhas que vcs colocaram. Estão de parabéns.

  5. Silvio Fishingtur em maio 17th, 2012

    Amigos,

    O que dizer nesse momento, acredito que me resta apenas dizer!!! Matéria, pescaria e equipamentos de GRANDE PORTE!!!

    Abraços,
    Silvio.

  6. Alexandre em maio 17th, 2012

    Parabéns Felipe e amigos da penn monstro de matéria. Equipe Twin Fishing curtindo muito

  7. Felipe Penn Raíba em maio 18th, 2012

    Grandes amigos! Sempre nos deixa muito felizes comentários como os de vocês.
    É mesmo uma frustração indescritível perder um peixe de porte bastante avantajado, mas é isso que faz da pescaria algo tão incrível, a vontade da superação e de cada vez ter maiores desafios!
    Todos os equipamentos usados por nós nós temos à venda, hein! É só nos mandar e-mail que conversamos.
    E na nossa próxima visita ao Córrego faremos algo bem diferente; uma pescaria de inverno, buscando os peixes mais tivos nessa época como carpas (húngara, capim e cabeçuda), curimbas e pintados. Aguardem!
    Abraços sinceros e boas pescarias a todos!

  8. Renato Moya em maio 18th, 2012

    Parabéns meus amigos excelente matéria,continuem assim um abraço Renato da Praia Grande SP.

  9. Daniel Martinez – PENN RAÍBA em maio 18th, 2012

    Olá a todos!

    Agradecemos muito os elogios e nos sentimos completamente realizados com o reconhecimento de nossas matérias e carretilhas.

    São comentários como estes que nos move e faz sempre querer melhorar.

    Quando um peixe dos bons escapa é sinal que a briga está de igual para igual, todos têm chances inclusive o peixe!

    Um abraço enorme a todos!

  10. Henrique Alemão em maio 18th, 2012

    Puts….. matéria showwwww de bolaaaaa…. e bela pescaria….

  11. Bruno Pirarara em maio 18th, 2012

    Parabens Felipe e Daniel, excelente materia. e excelente pescaria de pirararas.

    Gostaria que me falasse um pouco para mim e aos colegas deste forum como foi a atuação do suporte reforçado que desenvolvi e vendo, o qual vcs usaram pelas fotos que vi! Ajudou ?????

    Abraços amigos

  12. Erickinho em maio 21st, 2012

    ai sim em .. parabens ..

    pelas piras .. :)

  13. Daniel Martinez – PENN RAÍBA em maio 21st, 2012

    Olá Brunão,

    Primeiramente muito obrigado pelos elogios, vindo de um conhecedor como você nos deixa ainda mais contente.

    Não mencionamos o uso dos seus suportes nesta matéria mas é sem dúvida alguma a melhor opção em suportes para pesca pesada. O Penn Raíba utiliza e recomenda à todos!

    Grande abraço!

  14. Felipe Penn Raíba em maio 22nd, 2012

    Amigo Bruno Pirarara! Obrigado mais uma vez por prestigiar nosso trabalho!
    Quanto aos seus suportes, eles são mesmo excelentes. No nosso método de pesca, no qual jamais travamos as carretilhas enquanto estão na espera, o suporte não tem atuação decisiva, mas passa uma extrema segurança no caso de acabar a linha antes de chegarmos para a fisgada ou no caso de tempestades que acabamo por amolecer a terra e assim as varas caem dos suportes simples apenas como o próprio peso. 100% recomendado!

    Abraço a todos e boas pescarias!!

  15. igor Delgado em maio 23rd, 2012

    Bela pescaria,eu estive no corrego no sabado infelizmente a chuva atrapalhou bastante mas como tods sabem, tem o dia da caça e o dia do caçador, um abraço pra vcs daniel e felipe que eu tive o prazer de conhecer vcs pessoalmente no corrego, grandes pescadores, e gente finissimas, abraçs

  16. Serginho em maio 25th, 2012

    Olá amigos pescadores da Penn Raíba.
    Vcs disseram que a pescaria não foi das melhores, mas fisgaram vários bons exemplares e curtiram boas brigas; Pode-se dizer que essa pescaria foi muito boa (na minha opinião).
    Ótima matéria, muitas informações úteis e várias dicas importantes, parabéns.
    Podem nos dizer a que distância vcs estavam arremeçando as iscas no aterro?
    Gde abç a todos
    Serginho

  17. Fernando Fishingtur em julho 14th, 2014

    Serginho, a distancia varia muito, porem, acredito que de 2 até 10 metros é uma distancia muito boa para pescar as pirararas.


Fatal error: Call to undefined function show_subscription_checkbox() in /home/storage/b/dc/e9/fishingtur/public_html/wp-content/themes/ad-clerum-10/comments.php on line 101
xxxx