Diferença entre as carpas – Húngara, espelho, capim, cabeçuda


Olá amigos,

Chegou a hora de tirar mais algumas dúvidas que tanto confundem a cabeça dos pescadores. Hoje temos em nossos pesqueiros diversas espécies de carpas, exemplares que chegam até a 60kg.

Carpas Cabeçudas, Húngaras, Espelhos, Capins e Coloridas. Cada uma com suas qualidades e técnicas diferentes de pesca.

Começamos com as espécies mais confundidas, ou seja, Carpa Húngara ou Carpa Espelho ????

Essas espécies vieram da China e hoje estão em abundância na Europa e se adaptaram muito bem ao nosso clima. Aqui no Brasil classificamos essas duas espécies de forma incorreta. As carpas com escamas uniformes pelo corpo chamamos de Carpa Espelho e a de escamas falhadas, chamamos de húngaras. O que é errado.

O correto é que as duas são carpas húngaras, sendo que a de escamas falhadas é a Carpa Húngara Espelhada e a de escamas uniformes a Carpa Húngara ou Carpa Comum. Além destas temos outras como a Carpa Húngara Couro que não tem quase escamas, a Linear que tem apenas um rastro de escamas no corpo entre outras.

Então a partir de agora vamos identificar as carpas como abaixo:

Essas duas espécies tem o corpo bem parecido, formato da cabeça semelhante. Podem ter o corpo mais comprido ou bem redonda, porém todas sempre bem gordas. A diferença se dá em suas escamas.

A Carpa Húngara (Cyprinus carpio)tem as escamas uniformes pelo corpo, já a Carpa Espelho tem as escamas falhadas espalhadas pelo corpo. A Espelho (Cyprinus carpio) tem escamas de diferentes tamanhos, algumas absurdamente grandes. Já a Húngara tem escamas pequenas por igual pelo corpo. Carpas que chegam a 35kg nos pesqueiros e a mais de 60kg na natureza, principalmente na Europa.

Ambas são peixes de fundo, verdadeiras lixeiras. Reviram o fundo em busca de alimento, porém em pesqueiros tem o hábito de comer na superfície também.

Outra espécie de grande procura nos pesqueiros é a Carpa Cabeçuda. Tem o corpo bem mais comprido que as carpas húngaras. Sua cabeça tem o tamanho de 25% de seu corpo. Tem escamas pequenas e uniformes pelo corpo e a boca bem grande.

Sua alimentação é na superfície. Diferente das demais carpas, a Carpa Cabeçuda não morde a isca. Ela se alimenta de pequenas partículas que filtra na água. Em pesqueiros são encontradas em tamanhos acima dos 50kg.

A Carpa Capim é outro exemplar muito comum nos pesqueiros. Tem o corpo roliço, bem mais fino do que as outras carpas e bem comprido.

Tem escamas prateadas maiores que a Carpa Cabeçuda uniformes pelo corpo. É um peixe com muita agilidade e rapidez, fato não muito comum em outras carpas. Se alimenta tanto na superfície quanto no fundo. Chega a mais de 15kg em nossos pesqueiros.

Eu considero a Carpa Húngara uma das mais bonitas, tendo suas escamas por todo o corpo variando do amarelo claro, bege ao dourado.

Carpa esta um pouco mais manhosa que a Espelho, sempre fisgada com mais facilidade com linha fina e com o anzol todo escondido na isca.

As iscas mais usadas são massas de fundo, pão e ração. Porém pode comer de tudo.

Verdadeiros porcos das águas. Peixe robusto e morto de fome. Não dispensa nada. As Espelhos são peixes lixeiros, sempre de boca aberta esperando algo para comer. Sempre ataca antes que as Húngaras e comem bem o pão, salsicha ou ração flutuando.

Há aqueles que dizem que carpa não briga, mas não é bem assim. Use uma vara de 1,50mts de 10lbs ou menos com linha 0,20 a 0,24mm, anzol chinú n.4 e fisgue uma carpa com mais de 28kg como esta da foto abaixo. É briga e diversão garantida.

Ou ainda use varas de mão. Esta carpa abaixo de 25kg foi fisgada com uma vara de +-4mts e linha 0,35mm com salsicha a 10sm de profundidade. Foram mais de 20 minutos de briga.

Temos as capins. Peixe manhoso, porém de grande esportividade entre as carpas. Ataca muito bem na superfície, pão, ração e miçanga.

Uma espécie que não se entrega facilmente. Tem uma bela corrida quado fisgada mas é bem nojenta e escorregadia pra segurar.

Peixe muito bonito e de um brilho exuberante.

Agora vamos falar da Rainha dos Lagos. A Carpa cabeçuda.

Peixe de grande procura por fanáticos pela espécie. Requer habilidade, conhecimento, técnica e muita paciência do pescador.

Ataca 99% das vezes na superfície nos tão falados chuveirinhos.

Tendo um gosto apurado por alimentos doces, o pescador se desdobra em sabores como as massas de banana com mel, amendoim, frutas, leite condensado, além de agregar a batata doce, leite em pó, açúcar cristal, paçoca, etc.

O motivo da massa ser esfarelante e o chuveirinho sempre ter um anzol solto embaixo é que as cabeçudas não mordem a isca. Elas apenas assopram a bolota de massa para esfarelar e depois suga as partículas que vão caindo e aí acabam sugando o anzol que está solto embaixo e se fisga sozinha.

Peixe que quando fisgado não demostra força e sim muito peso a ser rebocado por seu equipamento, porém ao chegar próximo a margem resolve brigar e faz a fricção do equipamento cantar várias vezes.

Em alguns pesqueiros é comum vc ver as Carpas Chinesas, ou carpas Coloridas. Com muita beleza, mas com pouca esportividade

!!!ATENÇÃO!!!!

Peço por favor que não usem os alicates com balança ou grip nas carpas, pois são animais com a boca muito frágil e não aguentam o peso de seu corpo penduradas pela boca.

É isso aí, com certeza você não vai mais se confundir com as tantas espécies de carpas.

Abraços e boas pescarias

Fotos por Marcio, Adimir, Felipe e Daniela

Marcio David

#carpa #carpacapim #carpahungara #carpaespelho #carpakoi #carpachinesa #carp #carpfishing #diferença #fishingtur

0 visualização
Carretilhas de Pesca Penn
Contato Fishingtur

Parceiros

bruta.png
Lumis.png
Enz Miçangas e evas
LogoSimon.png
girls fishing lovers.png
Logo.png
universo da pesca.png
Oculos Matuto.png
ESTILO GOIANO.png
go pro 1.png
massa paturi.png
boias de pesca, boia cevadira, boia torpedo
Logo Completo Colorido recorte.png
Logo Step quadrado Tranparencia.png

Step'lc Confecções

Rua Nova Cidade - Vila Olímpia - São Paulo - SP

273.441.558-50

fishingturpesca@gmail.com

Prazo de Entrega da Loja de 10 a 14 dias úteis

O maior portal de Pesca e Turismo do Brasil

Fishingtur Pesca e Turismo 2007