Fazenda Paraná - O Fishingtur foi conhecer de perto a casa dos gigantes em MG


Local: Fazenda Paraná - Nova Serrana - Minas Gerais Data: Maio de 2012

Olá Amigos,

Nossa equipe foi convidada pelo amigo Klebinho para conhecer a famosa Fazenda Paraná, um grande cetro de pesca esportiva no centro-oeste mineiro. Como estávamos de viagem marcada para outros pesqueiros da região, adicionamos mais esta visita em nossa agenda.

Saímos de São Paulo pela Rodovia Fernão Dias, e no Km 617, pegamos a saída para Oliveira, seguindo pela BR 494 no sentido de Nova Serrana, passando por Divinópolis e outras cidades. A distância média de SP até o Pesqueiro foi de 500km.

Antes mesmo de nossa viagem, pesquisamos muito sobre o local, e achamos poucas, mas boas informações que nos animaram e muito. E fazendo parte de nossa pesquisa a medição do lago nos ajudou a separar equipamentos para grandes arremessos, pois as dimensões do lago eram extravagantes.

Chegamos a Fazenda Paraná no sábado por volta das 13h, ficamos admirados pelo tamanho do empreendimento e de longe já avistamos o imenso lago, que realmente tem proporções exorbitantes, se comparado aos tradicionais pesqueiros.

Assim que paramos o carro fomos gentilmente recebidos pelo Klebinho que nos levou até a recepção onde pudemos ver uma série de fotos no mural. O tamanho dos peixes chegou a impressionar e depois de uma belo bate papo, o Kleber nos levou até a sede da fazenda onde ficaríamos hospedados e lá conhecemos seu pai Kleber, sua mãe Rose e a tia Ruth, todos muito receptivos com nossa equipe. Descarregamos nossas bagagens e voltamos para a recepção, onde conhecemos um pouco mais da estrutura do lago como o grande deck, aqui chamado de ilha que é o principal ponto de pesca da Fazenda Paraná.

Além desta ilha, 80% do lago esportivo é propício para a pesca, sendo que em alguns pontos, tem coberturas e até mesmo um grande deck que fica na margem oposta ao restaurante. Todos com ótimos pontos de arremessos e uma grande probabilidade de se fisgar os grandes peixes.

Desde 1985, há 27 anos, a Fazenda Paraná vem desenvolvendo a criação de peixes em um dos projetos pioneiros de piscicultura do Brasil e com isso ganhando experiência e reconhecimento.

Como resultado desse trabalho e com a intenção de poder compartilhar com mais pessoas este espaço tão especial, é que em 2000 foi implantado o centro de pesca esportiva.

Uma ótima estrutura que oferece a oportunidade de passar momentos marcantes, travando boas disputas com peixes, que só perdem em tamanho para sua emoção, além do conforto e bom atendimento que são marcas registradas desse trabalho.

E foi por este motivo que chegamos até a Fazenda Paraná, para comprovar a qualidade do local, os grandes peixes e o perfeito atendimento.

A família do Klebinho trabalha a décadas na criação de peixes e em especial, foram os pioneiros na criação e desenvolvimento dos Tambacus, espécie híbrida que hoje está presente em todos os pesqueiros do Brasil.

Exemplares criados a quase 30 anos ainda estão no lago esportivo e estes ultrapassam os 45 kilos facilmente, fala-se até em exemplares de Tambacus acima dos 50 kilos. Isso se falar nos Surubins e Pincacharas que facilmente passam dos 35kilos e grandes Dourados de até 22kilos.

E foi neste ritmo que passamos praticamente a tarde toda conversando com o Klebinho e clientes que ali passavam.

O relógio já marcava 16h quando resolvemos descer para o lago. Como a ilha e os decks estavam bem cheios, resolvemos dar a volta no lago e ficar na margem oposta.

Começamos com as bóias cevadeiras, vimos muitos corimbas, piaus e pequenos tambas comendo, mas muito tímidos ainda. Partimos então para a pescaria com salsicha flutuando e foi onde vimos grandes rebojos e alguns ataques sem maiores resultados.

O Saulo então levou uma de suas varas até o deck coberto que já estava vazio, deixou a vara inclinada e uma salsicha flutuando bem rente as bases do deck, feitas como palafitas. Não demorou muito e uma forte explosão foi o suficiente para ver a vara envergar e a linha esticar para baixo do deck.

Saímos correndo e quando chegamos o peixe estava tomando muita linha. Tivemos muito trabalho e com calma conseguimos aos poucos trazer o peixe que tinha trançado no mínimo por umas quatro bases do deck e depois disso tudo vimos uma grande Pincachara aparecer para nossa alegria. Trouxemos o peixe até a margem e com o passaguá tentamos levantá-la, mas apenas metade do peixe estava preso, o Saulo precisou largar seu equipamento e ajudar a segurar o peixe pelo rabo.