Fazenda Paraná – A hora e a vez dos gigantes na ponta da linha


Local: Fazenda Paraná - Nova Serrana - MG Data: Janeiro de 2013

Olá Amigos leitores de nosso site,

Nesse relato vamos descrever a Parte 2 da pescaria realizada por nossa equipe no Pesqueiro Fazenda Paraná, localizado na cidade de Nova Serrana – MG que fica aproximadamente 520 quilômetros de distância da capital de São Paulo e não mais de 100 quilômetros da cidade de Belo Horizonte.

A aventura ocorreu no mês de Janeiro durante o feriado de aniversário da Cidade de São Paulo e a equipe Fishingtur foi composta por mim (Silvio Leme), Adimir e o Anderson.

Conforme observaram na matéria Parte 1, enfrentamos uma manhã de muita chuva, mas com muitos e bons peixes fisgados e perto do final da manhã a chuva deu uma trégua e por volta das 13h00min h., parou completamente. Animação geral, retirada das capas de chuva e com vento bem fraco coloquei “pilha” no Anderson e no Adimir e retomamos a pescaria (que mais gostamos) utilizando as bóias cevadeiras e após uma boa ceva os peixes começaram aparecer e eu (Silvio Leme) e o Anderson não perdemos tempo e partimos para as fotos com os valentes Tambacus que habitam os Lagos da Fazenda Paraná.

Entretanto, como a natureza se faz presente a todo o momento na Fazenda Paraná, recebemos a visita de “ilustres convidados” que literalmente caíram de boca, ou melhor, de bico em nossa ceva e com a chegada desses “papa ceva” os redondos desapareceram e ficamos por alguns instantes frustrados e um olhando para o outro sem entender muito o que estava acontecendo e foi necessário interrompermos os arremessos. Faz parte!!!

Como os nossos “amigos” insistiam em permanecer próximos aos pontos de arremessos e com o aroma da boa comida mineira vindo do restaurante, decidimos partir em retirada e seguir para o almoço e vejam abaixo fotos dos pratos serviços no local. S.E.N.S.A.C.I.O.N.A.L!!!!

Após esse excelente almoço e um breve descanso retornamos para nossa pescaria e adivinhem?!?!? os “intrusos” não estavam mais no lago e reiniciamos a pescaria na mesma modalidade (cevadeira) com os 3 cevando não muito distante da margem (cerca de 40 metros) em direção ao centro do Lago e não demorou muito para identificarmos rebojos próximo a ceva e na seqüência começarmos a ter as linhas esticadas, carretilhas “cantando” e peixes para foto.

Estávamos pescando no Píer que fica aproximadamente 3 metros acima da linha d’água o que favoreceu visualizarmos um cardume de grandes peixes se alimentando. Não estava ocorrendo “explosões” na superfície, mas pelos rebojos e subidas lentas e repentinas confirmamos a presença dos gigantes.

Nesses momentos a adrenalina do pescador sobe e sabíamos que a qualquer momento um desses TambaREX seria fisgado e lentamente observo a bóia guia se movimentar e afundar lentamente o que me fez mandar uma bela fisgada e imediatamente senti o “peso” na ponta da linha e disse para o Adimir que estava ao meu lado. Esse é bruto!!!

E como é característica em algumas capturas de grandes exemplares de redondo ele chegou lentamente próximo ao píer e lá de cima foi possível ver o seu tamanho e confesso que a tremedeira se instalou. O Redondo passou vagarosamente ao lado do píer e foi aí que mandou o contra-ataque tomando fácil uns 40 metros de linha. A “briga” foi intensa e corridas do peixe para o centro do lago foram ao menos umas 8, mas com a “ponta dos dedos” conseguimos fazer mais um TambaREX pranchar na margem e após estar no passaguá partimos para a sessão de fotos e resolvi fazer as fotos segurando o peixe (com segurança) dentro da piscina.

Achei que ficou legal demais, vejam abaixo amigos!!!

Antes de devolvermos o gigante acima o Anderson fisgou mais um, porém não muito grande, mas valente ao extremo como é peculiar ao redondos da Fazenda Paraná. Carbontex da Fishing master neles!!!

As principais iscas utilizadas nessa pescaria por nossa equipe foram os eva’s e miçangas com anzol Wide Gap 2/0 (maior produtividade na cor café com leite) e como as dimensões do Lago são enormes, decidimos por utilizar varas (Pampo e Kensaki) de 2.10 a 2.40 m., e carretilhas de perfil baixo com linha monofilamento 0.37mm (cerca de 110 metros no carretel). Na sessão de “Dicas e Técnicas” do site vocês encontrarão vídeos feitos pela equipe Fishingtur especialmente para que você leitor possa montar esses conjuntos.

Após os momentos de alegria, euforia e felicitações pela captura de um grande exemplar, retomei a pescaria e a ceva estava mantida pelo Adimir e o Anderson e no primeiro arremesso imediatamente após a cevadeira cair na água à bóia guia desaparece e na duvida, fisgada nele e novamente senti o peso e falei para os amigos, é outro!!! Eles não acreditaram muito, mas quando a “briga” começou de verdade estava confirmado que mais um TambaREX estava na ponta da linha. Trabalho cuidadoso, torcida e apoio dos amigos e passado uns 10 minutos, olha a “criança” aí nas fotos. Esse aproveitei para lavar a alma!!!

A tarde estava “nervosa” e a sorte ao nosso lado e novo arremesso e mais um redondo, mas este bem longe em tamanho e paralelamente um dos funcionários da Fazenda Paraná também capturou o seu. Muito peixe!!!

Os gigantes continuavam a rodear e comer na ceva e derrepente mais uma bóia se foi e desta vez era o amigo Anderson engatado e após confirmar a fisgada ele disparou…. Esse “menino” é grande!!! Inicialmente pela corrida do peixe acreditávamos ser uma grande Cachara (que existe em grande quantidade no lago), visto que, procurava pela margem do lago e sempre adentrava no capim. Foi necessário um grande esforço do Anderson para dominar o peixe e certamente foi um dos que forneceu maior resistência em se entregar, mas quando chegou era mais um dos grandes Tambacus. Peixe muito bonito que também fez o Anderson cair na água com o gigante nos braços!!!

No final de tarde já com a caída da noite ainda capturamos mais 2 exemplares e por estarmos bem cansados e os peixes de couro “hibernando”, ficamos batendo um bom papo e relembrando o dia de pescaria e por volta das 22:00 h., resolvemos descansar para o dia seguinte.

Acordamos e está manhã seria a nossa ultima de pescaria na Fazenda Paraná e iniciamos cevando muito, mas o cardume de gigantes do dia anterior não se fez presente, mas não desanimamos e muitos outros exemplares de bons e grandes peixes foram capturados em poucas horas de pescaria e alguns seguiram para foto, fortalecendo que na Fazenda Paraná e morada dos redondos. Isso é Fishingtur!!!

Após a soltura dos peixes acima, e já com os braços “destruídos” iniciamos por volta das 11h00min h., a desmontagem de nossos equipamentos para iniciarmos o retorno para São Paulo, com a certeza de um breve retorno.

O nosso amigo Matheus que mora em Belo Horizonte soube de nossa visita e da qualidade e quantidade de peixes capturados e pediu algumas dicas e, na semana seguinte, utilizando a mesma montagem composta de cevadeira, bóia guia, eva’s tonalidade caramelo com 2 na linha e 2 no anzol wide gap 2/0 com miçanga marrom, engata mais um “monstro” ratificando que a Fazenda Paraná é reduto de Gigantes. Mais um belo Peixe!!!

Amigos, pelo potencial desse pesqueiro, muito em breve o Fishingtur em parceria com a o Fazenda Paraná estará promovendo algumas viagens de grupos fechados para que o amigo leitor tenha a sensação de pescar nesse local e fazermos juntos uma ótima pescaria. Não deixem de acompanhar as nossas reportagens e aguardem por novidades!!!

Gostaríamos de deixar um grande abraço a todos os amigos pescadores e leitores do site Fishingtur, aos funcionários do Pesqueiro Fazenda Paraná e um abraço especial ao Klebinho pela simpatia e atendimento fornecido para nossa equipe e pela confiança depositada em nosso trabalho.

Silvio Leme Equipe Fishingtur

Fotos: Silvio, Anderson, Adimir e frequentadores do Recanto dos Peixes Texto: Silvo Leme

#fazendaparana #tambacu #fazenda #pesqueiro #anteninhas #paoflutuando #fishingtur

11 visualizações0 comentário
Contato Fishingtur

Parceiros

Lumis.png
Enz Miçangas e evas
LogoSimon.png
girls fishing lovers.png
Logo.png
ESTILO GOIANO.png
go pro 1.png
massa paturi.png
boias de pesca, boia cevadira, boia torpedo