Fazenda Paraná –  Equipe Fishingtur novamente na terra do queijo e dos Gigantes Redondos e Surubins


Local: Fazenda Paraná - Nova Serrana - MG Data: Junho de 2013

Olá Amigos leitores de nosso site,

No último feriado prolongado de Corpus Christi decidimos aproveitá-lo visitando pesqueiros em Terras Mineiras, e um dos escolhidos foi o Pesqueiro Fazenda Paraná que está situado próximo a Cidade de Nova Serrana no estado de Minas Gerais.

O local é bem fácil de chegar e saindo pela Rodovia Fernão Dias sentido Belo Horizonte, pegar a saída no Km 617 para cidade de Oliveira, e percorrer cerca de 100 km pela BR 494 sentido a cidade de Nova Serrana. A distância de São Paulo/Capital até o Pesqueiro é de aproximadamente 520 km. Seguimos para essa aventura eu (Silvio Leme), Léo Paturi e o Adimir, sendo os três mosqueteiros da equipe Fishingtur a se aventurar nas Terras do queijo com goiabada.

Após uma viagem tranquila por estradas bem conservadas, chegamos a Fazenda Paraná por volta das 08h30min h., e já fomos recebidos pelo amigo Klebinho que administra o local. A hospitalidade do Klebinho é impar e acreditem ele já havia providenciado um belo café da manhã como boas vindas a nossa equipe.

Durante o café da manhã aproveitamos para colocar o papo em dia e pegar algumas dicas com o Klebinho que nos informou que os Redondos ainda estavam na ativa e os Surubins (Pintados e Cacharas) estavam bem ativos. Noticia melhor que essa logo na chegada impossível e rapidamente rumamos para o local escolhido para “firmarmos território” e decidimos ficar na margem oposta ao restaurante e iniciamos com a montagem de nossos equipamentos.

Começamos a pescaria na modalidade que mais gostamos de praticar, sendo o uso das bóias cevadeiras e eva’s sempre concentrando a ceva no centro do Lago e logo nos primeiros arremessos avistamos rebojos dos grandes redondos próximo à ceva. Adrenalina e expectativa subindo, até que lá se vai todo o conjunto de bóia cevadeira, bóia guia eva’s e miçanga para as profundezas e apenas confirmei a fisgada e imediatamente recebi um contra-ataque com o peixe levando fácil uns 30 metros de linha (isso foi uma constante). Como o conjunto era de carretilha perfil baixo de linha 0.37 mm e o arremesso teve cerca de 50 metros, ainda restavam cerca de 30 metros de linha no carretel, mas como se tratava do primeiro peixe de Respeito mantive a fricção no limite para não ter o primeiro “zera carretel” e minutos depois um lindo Tambaqui entrou no passaguá para as fotos com a equipe Fishingtur!!!

Peixe liberado e observo o Adimir travando uma batalha com mais um redondo capturado na miçanga com 30 cm de profundidade. Esse peixe apesar de não ser muito grande correu para uma das margens do lago dando “um caldo” em nosso amigo, mas após uns 10 minutos o peixe não resiste e segue para as fotos.

Na seqüência o amigo Léo engata um lindo exemplar e por ser o primeiro peixe dele na Fazenda Paraná também estranhou a grande força e brutalidade dos redondos.

Uma breve parada para o típico almoço da culinária mineira com um descanso merecido e retornamos ao trabalho com os redondos ainda bem ativos (não davam trégua) na ceva e rapidamente mais 2 belos exemplares foram capturados

Com o cair da tarde o cardume encostou de vez e bastava arremessar na ceva concentrada no centro do lago para as bóias literalmente darem um tchauuuuuu... e linha esticada, fisgada confirmada e peixes na foto!!!

Antes do anoitecer aproveitamos as últimas batidas dos redondos na ceva e consigo fisgar mais um belo exemplar que seguramente teve uma seqüência de 3 ou 4 grandes tomada de linha em direção ao centro do lago e após alguns minutos encosta mais um lindo Tambacu De Qualidade na margem e aos pés da Equipe Fishingtur para as fotos. Como sempre gosto de dizer.... Nota 10!!!

A noite chegou e foi inevitável não nos lembrarmos do nosso bate papo com o Klebinho durante o café da manhã que havia informado que os surubins estavam começando atacar as iscas e montamos os equipamentos com cabeça de Tilápia de fundo e Salsicha flutuando/boiando rente a margem do lago. E na cabeça de Tilápia de fundo o Léo “toma uma pancada” digna de um peixe “malcriado” que não tomou conhecimento de um equipamento médio/pesado e tirou o amigo para “dançar”. Mas, com maestria o Léo traz para margem o primeiro de muitas Cacharas de bom porte capturadas por nossa equipe. Um lindo e grande exemplar!!!

O Léo estava impossível e no outro equipamento com Salsicha flutuando rente a margem escutamos aquele canto que tanto adoramos do peixe tomando linha e na confirmação da fisgada o Léo identifica pelas corridas ser outro exemplar de couro o que se confirmou quando encostou à margem e caiu no passaguá. Este peixe, inclusive, mandou a tradicional rabada e acabei tomando um belo banho!!!