Fazenda Paraná - A cada pescaria uma nova surpresa


Local: Pesqueiro Fazenda Paraná - Nova Serrana - MG Data: 26/11 a 28/11/13

Olá Amigos,

Nesta última semana, eu(Marcio David) e nosso amigo China saímos de São Paulo em plena terça-feira por volta das 6:30h da manhã com destino a cidade de Nova Serrana, interior do estado de Minas Gerais, aproximadamente 550km da capital paulista.

Saímos de São Paulo pela Rodovia Fernão Dias, e no Km 617, pegamos a saída para Oliveira, seguindo pela BR 494 no sentido de Nova Serrana, passando por Divinópolis e outras cidades.

As 14h já estávamos na Fazenda Paraná, onde fomos muito bem recebidos pelo Edinho, pela Marise e pelo Klebinho.

Não perdemos tempo, arrumamos as tralhas e seguimos para o Restaurante, pois iríamos almoçar para depois começar a pescaria.

Montamos equipamentos básicos com Varas de 6'6" a 7'0", de 15 a 40 libras. As Carretilhas de perfil baixo, entre elas a Revo s da Abu Garcia. UM conjunto que montei e que deu muito resultado no desempenho tanto nos arremessos quanto na briga com o peixe foi a Carretilha Revo Toro da Abu Garcia com uma vara de 2,40mts.

Sentamos no restaurante, pedimos uma porção e filé de tilápias e o China aproveitou e jogou um pouco de ração na água. Foi o suficiente para ver dezenas de grandes tambacus subindo e comendo bem devagar.

Olhamos um para o outro e como os equipamentos estavam ali, foi inevitável fazer uns arremessos antes do almoço. No terceiro arremesso do China com o pão flutuando direto na linha, em um anzol modelo 12146 da MS, a fisgada foi certeira e o primeiro Tambacu de nossa pescaria estava na ponta da linha. Um belo exemplar na casa dos 18kg.

Na sequencia foi a minha vez de fisgar uma belo Tambacu de 16kg, também no pão flutuando. Os peixes estavam bem ativos.

O pão flutuando fez a diferença nesta pescaria, bastava cevar um pouco com a ração e esperar os tambacus subirem, depois era só arremessar o pão e esperar o bote. Fisguei mais um bonito exemplar de 21kg com o pão.

Eu e o China praticamente rodamos o lago em busca dos peixes, em cada momento estávamos pescando em um ponto diferente e sempre com grandes fisgadas. Até então, cevando bastante e depois arremessando o pão flutuando, ou direto na linha, ou em uma bóia Torpedo das Bóias Barão com poita.

O China, depois de uma grande explosão no pão, teve uma briga das boas com um grande Tambacu, esta na casa dos 23kgs.

Na sequencia o China fisgou outro belo Tambacu, novamente no pão flutuando.

Novamente no restaurante, cevamos um pouco e esperamos, mas nada do peixe subir, arremessei um pão flutuando e foi o tempo de encostar a vara e já ouvir a explosão. Uma tomada de linha muito forte e mais um belo tamba na ponta da linha. Exemplar com 21kg.

No final da tarde, estávamos pescando com a bóia cevadeira com chicote de 40cm de linha mono 0,50mm e um anzol chinú n.9. A isca era uma ração Labina. Fisgamos dois pequenos tambas, quando minha bóia sumiu e eu fisguei, automaticamente levei um contra-ataque com uma tomada de linha muito grande e forte. Era certeza de ter um gigante nas mãos, mas a briga não parava, com corridas fortes e já estava quase escuro quando comentei com o China:

Marcio: -Isso ta parecendo Tambaqui. China: Você tá louco !!!! Marcio: Tenho quase certeza. China: Serááá?

Enfim, era o verdão mesmo, o legítimo Tambaqui da Amazônia, este com 19,500kg

Além da pescaria com o pão, pescamos um bom tempo usando as bóias cevadeiras com a ração na pinga, P