Fazenda Paraná - Muitos gigantes fisgados neste inverno


Local: Fazenda Paraná - Nova Serrana - MG Data: 08 e 09 de Junho de 2012

Olá Amigos,

Nossa equipe estava com pescaria marcada neste feriado no estado de Minas Gerais, onde pescaríamos na quinta do feriado na Pousada 4 Estações e na sexta, decidimos então fazer uma visita para nosso amigo Klebinho, proprietário da Fazenda Paraná.

Saindo de São Paulo pela Rodovia Fernão Dias, pegar a entrada no Km 617, saída para a cidade de Oliveira, seguindo pela BR 494 no sentido de Nova Serrana, passando por Divinópolis e outras cidades. A distância média de SP até o Pesqueiro é de aproximadamente 530km.

Chegamos na Fazenda Paraná na sexta-feira dia 08 por volta 11:30h e pescamos até sábado as 22h, ou seja um pouco menos de 2 dias de pesca.

Assim que chegamos, fomos muito bem recepcionados pelos funcionário do pesqueiro, e depois de mostrar um pouco da estrutura para o Sr. Adimir, pegamos nossas tralhas e seguimos para um cantinho do lago, onde encontramos um pequeno deck com muita sombra e ali começamos a preparar os equipamentos.

O lago principal da Fazenda Paraná realmente impressiona pelo tamanho avantajado. Para se ter uma idéia, medindo três pontos do lago entre as margens temos as seguintes medidas: 260mts x 215mts x 160mts. É bom ter equipamentos com uma boa quantidade de linha para conseguir brigar com os gigantes.

Saímos de São Paulo com muita chuva e frio e no caminho para a Fazenda Paraná, ficamos sabendo que em São Paulo ainda estava chovendo e muito frio, mas para nossa sorte, em Minas Gerais pegamos dias de muito sol e calor, o que foi o diferencial para o sucesso de nossa pescaria.

Arrumando nossas tralhas, começamos a ver muitas manchas negras passeando pelo lago, algumas fazendo até pequenas ondas. Este lago abriga uma grande quantidade de Pintados, Cacharas e Pincacharas de até 45kg e muitos Tambacus que segundo o Klebinho ultrapassam facilmente os 45kg, além de diversas outras espécies.

Montamos rapidamente um equipamento cada um, com apenas um anzol Worm (anzol de blackbass) para a pescaria com salsicha flutuando. Iscamos meia salsicha por vez e logo no primeiro arremesso a 5 metros do deck, um grande tambacu subiu e lentamente abocanhou minha salsicha, esperei ele carregar um pouco e fisguei, mas acho que demorei muito e ele acabou soltando a salsicha.

Em seguida ficamos esperando as manchas pretas aparecerem e bastou um arremesso próximo a eles e esperar o ataque. Uma grande explosão e a linha já estava esticada. O Sr. Adimir travou uma boa batalha até que o Tambacu se entregou e foi garantido com o passaguá.

Na sequencia foi a minha vez de fisgar outro exemplar na salsicha flutuando, mas a linha simplesmente esticou sem nenhum movimento maior e uma briga estranha e sem resistência, quando vi, era um bonito exemplar de Tilápia.

Em outro arremesso no meio do lago, depois de alguns tambacus passarem de um lado para outro, vi uma grande mancha bem ao lado da salsicha e em um rápido bote, vi minha linha esticar rapidamente quase não dando tempo para confirmar a fisgada. Uma tomada de linha incrível onde a linha rasgava a água em direção ao outro lado do lago. Os 100mts de linha 0,37mm que estavam na Curado foram simplesmente sumindo até que com o dedo fui travando e o peixe parou de correr para o meio e começou a colaborar, dando chances para que eu recolhesse um pouco de linha. Até então eu pensava que era um grande Tambacu, mas a briga estava muito diferente até que o peixe correu pela margem, literalmente levantando o capim e foi aí que tive a certeza de que não se tratava de um tambacu e sim de uma grande Pincachara.