Fazenda Paraná - Uma pescaria com gigantismo na ponta da linha


Local: Pesqueiro Fazenda Paraná - Nova Serrana - MG Data: 31/10 e 01/11/13

Olá Amigos,

Na última semana, na quarta-feira eu estava no aeroporto de Goiânia as 7h da manhã, liguei para o amigo China perguntando se ele não queria ir pescar, em 2 minutos no telefone decidimos ir para a Fazenda Paraná. Cheguei em São Paulo por volta das 10h e as 10:30 já estava em casa. Liguei ao amigo e proprietário do pesqueiro, o Klebinho e fechamos a pescaria.

O China passou em minha casa as 12:30h, passamos no trabalho do Júnior, o qual estava com as Bóias Cevadeiras e os chicotinhos das Bóias Barão e depois seguimos viagem.

Saímos de São Paulo pela Rodovia Fernão Dias, e no Km 617, pegamos a saída para Oliveira, seguindo pela BR 494 no sentido de Nova Serrana, passando por Divinópolis e outras cidades. A distância média de SP até o Pesqueiro foi de 500km.

As 21h já estávamos na Fazenda Paraná, onde fomos muito bem recebidos pelo Edinho e pela Marise, funcionários que estão a mais de 20 anos trabalhando com a família.

Arrumamos a tralha, fizemos um lanche e fomos dormir.

Na manhã seguinte, quinta-feira dia 31/10 acordamos as 7h e logo já estávamos no deck. Fizemos alguns arremessos com as Bóias Cevadeiras Barão, mas apenas os curimbas e pequenos peixes subiram para comer. Conforme a ração foi em direção ao meio do lago, ouvimos e vimos algumas grandes explosões. Montamos então uma Bóia Torpedo Barão com chicote de 3mts com anzol 12146 MS 6/0 com pão ou sebo flutuando. Arremessamos com poita e aguardamos.

O peixe não estava afim de nada, fomos tomar um belo café da manhã e no retorno vi a minha bóia, mas o pão não estava lá. Fui recolhendo e ao esticar a linha senti o peso e fisguei. O peixe deu uma disparada e na corrida minha linha cortou. Era um peixe pesado e forte, mas infelizmente o perdemos.

O lago principal da Fazenda Paraná tem grandes proporções. As tradicionais carretilhas de perfil baixo comportam em média 100mts de linha o,37mm. Dependendo do local que você ficar, corre o risco de ficar sem linha na carretilha.

Montamos vários conjuntos de varas de 6'6" a 7'0" de 15 a 30 libras, com carretilhas de perfil baixo com linhas 0,37 e 0,40mm.

O China montou também uma vara Pampo com uma Carretilha Curado, equipamento este que ele pescou com as Bóias Cevadeiras.

Eu usei dois equipamentos a maior parte do tempo:

Vara Veritas 6'9" 12-20 libras - Abu Garcia Carretilha Revo S - Abu Garcia 100mts e Linha Laiglon 0,37mm

Vara Cevadeira customizada 2,40mts - Leal Custom Carretilha Revo Toro - Abu Garcia Aproximadamente 200 mts de linha mono 0,40mm

Na parte da manhã os peixes deram um baile em nós, tentamos de tudo quanto foi jeito e nada dos peixes atacarem nossas iscas. Apenas duas boas ações, mas que perdemos, pois o peixe cortou nossos chicotes.

Decidimos então tentar no canto mais raso do lago, um lugar bem estreito e calmo. Cevamos bastante e vimos algumas manchas negras aparecendo, assim como muitas Pincacharas. Tentamos na salsicha flutuando e nos evas, mas sem resultados positivos.

Arremessei a bóia torpedo com o pão flutuando. Em outro equipamento, este com a salsicha flutuando fiquei fazendo arremessos bem perto da margem oposta onde alguns peixes estavam rebojando.

Eu estava brigando com os peixes neste canto quando uma gigantesca explosão fez o pão e a bóia desaparecer. Como eu estava longe, o China fisgou o peixe e começou a briga até que eu chegasse perto. Peguei o passaguá, alicate, máquina fotográfica e a balança e fui onde o China estava.

Este foi fisgado com o conjunto da Abu Garcia com a Vara Veritas e a Carretilha Revo S.

Brigamos com esse peixe por mais de 20 minutos. Onde o China assumiu o controle e eu desci o barranco com o passaguá. O peixe já estava totalmente cansado, subia e ficava de barriga para cima mas rebojava e puxava linha novamente, subia, boiava, mas virava e puxava de novo. Chegava até a margem, jogava água prá todo lado e ia de novo lago a a dentro.

Neste momento já sabíamos que se tratava de um peixe muito grande, porém não tínhamos noção do quanto era pesado. A adrenalina foi tomando conta