Fishingtur Selvagem - A Amazônia é sem sombra de dúvidas, o lugar onde nossos sonhos se tornam real


Local: Rio Cuiuni e Alegria – Barcelos (AM) Data: Setembro de 2012

Olá amigos leitores de nosso site!

A temporada 2013/2014 dos Gigantes Tucunarés Amazônicos se iniciará em breve e como sabem a equipe Fishingtur com o apoio e gerenciamento logístico do Allen Gadelha e do guia Dinamar (mais conhecido como Dino) executou uma excelente pescaria na última temporada na região e inclusive, temos três matérias (de uma série de cinco) já publicadas no site. Os integrantes da equipe Fishingtur que estiveram nessa aventura foram eu Silvio Leme, Junior, Rogerio Rodrigues, Marcio David, Felipe e 3 grandes amigos (Mario, Gilmar e Papareli).

Nesta parte IV já havíamos ultrapassado todo o Rio Cuiuni e avançado bem pelo Rio Alegria e chegamos ao limite de navegação do calado do barco “mãe” de nome Comandante Junior de propriedade de nosso amigo Sara. Entretanto, resolvemos ficar por mais dois dias nesse local antes de iniciarmos a subida do Rio Alegria com os barcos menores para os acampamentos avançados I e II. A Decisão de permanecermos foi devido à observação da tripulação (Gadelha/Dino/Sara) de entrada de água “nova” derivado das chuvas na cabeceira dos Rios o que faz a água subir repentinamente.

Esse é o terrível repiquete que os pescadores de Tucunaré do Amazonas são temerosos e que na prática faz o Tucunaré simplesmente “desaparecer” dentro da mata. Posso garantir a vocês, que esse tal de repiquete pode acabar com o sonho de uma pescaria programada e planejada por meses e até anos. Com essa decisão que posteriormente se mostrou adequada, continuamos a nossa pescaria, mas os peixes ficaram mais manhosos e apenas os exemplares de menor porte estavam saindo com frequência, mas mesmo assim, faziam a alegria da galera e colocamos em ação o pelotão de iscas de subsuperfície da Moro e Deconto e também os Jigs da Extreme Jigs!!!

Tucunarés – Equipe Fishingtur

Com as águas nessas condições, partimos também para a pescaria nas lagoas, mas entrar nesses locais requer muito tempo e esforço e mesmo quando conseguíamos ultrapassar esses obstáculos os maiores exemplares nada queriam com nossas iscas, mas capturas dos “menores” eram frequentes e o registro obrigatório. Vamos que vamos, e só por estar em um lugar maravilho como este não tínhamos do que reclamar não é mesmo?!?!?!

Tucunarés – Equipe Fishingtur

Manhã difícil para captura dos grandes peixes e após o almoço eu (Silvio Leme) sai para pescar com o Marcio David e a tarde também foi de “bater” isca feito doido e mesmo assim nada dos gigantes. Por mais de três horas não tivemos nenhuma ação de ataque em nossas iscas e bem no final da tarde combinamos um split final e coloquei uma Dr. Spock e o Marcio uma isca de meia água da Moro e Deconto e saímos lançando as iscas para todo lado e em uma estrutura de molongó (árvore típica da floresta amazônica) o Marcio recebe uma pancada forte característica dos grandes exemplares. O peixe entrou mata adentro e cruzou todas as árvores que havia a nossa frente e em um trabalho de equipe conseguimos (nesse dia difícil) retirar um gigante da água.

Tucunaré Açu – Marcio David

Por esse dia foi só, mas na manhã seguinte o Felipe antes mesmo do relógio apontar 08h00minh., tira das profundezas mais um legitimo TucunossauroREX que brigou demais e não resistiu aos equipamentos da Abu Garcia e em 5 minutos estava no barco para a sessão de fotos.

Tucunaré Açu – Felipe