Fishingtur Selvagem – Uma viagem ao coração da amazônia – parte II


Local: Rio Demeni – Barcelos (AM) – Parte 2 Data: Fevereio/2011

Fishingtur Selvagem !!!!

Amigos,

Vou relatar para vocês leitores de nosso site a parte 2 de nossa aventura em Fevereiro/2011 no Rio Demeni em Barcelos – AM. Como mencionado na Parte 1, na chegada em Barcelos já sabíamos das dificuldades que enfrentaríamos em nossa pescaria, devido ao nível alto das águas nos principais Rios da região, entretanto, tínhamos informações precisas que o Rio Demeni estava com um nível de água adequado e este foi o nosso destino para o acampamento selvagem. Nos 3 (três) primeiros dias o Demeni “secou” 7 cm, mas a partir daí depois das fortes chuvas fomos obrigados a enfrentar a subida repentina do rio, fenômeno conhecido como repiquete, que faz o Tucunaré, principalmente os grandes Açus desaparecerem e atacar muito pouco nosso “arsenal”, ou seja, as iscas artificiais.

No Rio a pescaria que até então estava bem produtiva, simplesmente parou, as praias ficaram submersas e o nosso alvo o Tucunaré foi literalmente para dentro do mato. Hora de mudarmos a estratégia e em rápida reunião, ou melhor, bate papo (lá não se faz reunião), nosso amigo e Guia Dino tem a solução. Vamos pescar nas Lagoas, a alegria toma conta de todos, mas ele logo avisa, teremos que fazer “varação” para entrar nesses lagos. Isso significa arrastar, arrastar, arrastar e arrastar o barco por até 500 metros por canais bem secos, com vegetação de espinhos, arraias, cobras, caba (marimbondo) entre outros que formam esse habitat. Mas, estando em uma aventura dessas, sempre devemos estar prontos e preparados para essas adversidades que sempre ocorrem na natureza, por está razão um profissional como o Dino (nem todos topam fazer esse esforço) deve sempre estar presente para o apoio e suporte necessário.

Estratégia montada e aceita fomos a “luta”, para entrar nos lagos. Apesar de o Dino fazer a pior parte, todos nós participávamos e tínhamos que carregar o barco e o cansaço, principalmente na volta era grande e evidente, notem na foto abaixo que saindo de um dos lagos o barco estava em terra firme e tínhamos uma subida ainda pela frente até o Rio. A Alegria de transpor os obstáculos também era gratificante e comemorada por todos.Após entramos no primeiro lago ainda na boca, o Anderson engata uma cachara. Para transpor as lagoas demorávamos em média 2 horas, sendo assim, quase certeza de levarmos o mesmo tempo para retornar e desta forma, nossa pescaria dentro dos lagos terminava por volta das 15h:00min., para termos tempo de retornar com a luz do dia, e eu sempre falava aos amigos Rogério e Anderson que o tempo era curto, então “vamos bater isca” e em um momento que eles estavam descansando e tomando uma água, vejo uma linda brecha em uma copa de árvore com um tronco submerso em minha frente e não pensei duas vezes e falei ao Dino, ali mora um Bichão… arremesso caprichado e certeiro, e depois de 2 trabalhadas na Zig Zara, uma explosão digna dos grandes Açus…… e tenho um bonito engatado e tomando muita linha da carretilha….. briga daqui, briga dali… Dino tira o Barco para o meio do lago e após alguns minutos veio o oponente para a foto.

Após “vencer” essa batalha o peixe, a natureza e principalmente nós somos premiados com a soltura, para que outros pescadores possam desfrutar desses momentos. Rogério e Anderson se animam e começam a “bater” isca incansavelmente e o Rogério com uma isca de hélice TREX da Jennerlure engata um monstro, com uma explosão linda e o peixe insistindo em ir para as galhadas e o Rogério segurando o bichão do jeito que podia…. depois de uma grande briga o peixe escapa, ele conseguiu abrir as 2 garateias e entortar a hélice, foi incrível e vejam abaixo como ficou a isca….. Rogerião ficou cabisbaixo por uns 10 segundos olhou para a galhada e disse “amigo, ano que vem eu venho falar com você !”. Nesse momento tive a certeza que este meu grande amigo estava de fato batizado com os TucunossauroREX do Amazonas. Nunca vamos conseguir vencer todas e “perder” uma batalha dessas torna-se até gratificante.

Descanso merecido e passamos boa parte da noite na rede batendo papo e relembrando os bons momentos da pescaria e o pequeno gerador que havíamos levado parou de funcionar e apesar de termos as lanternas o Dino (sempre ele) disse que iria improvisar uma Lamparina… fiquei imaginando como….. e rapidamente ele pega 2 latinhas de cerveja, retira a tampa e o fundo de uma delas e faz um canudo, inserindo uma tira de pano e mergulhando tudo na outra latinha com Diesel, vejam abaixo a criação do amigo Dino, sensacional!!! No dia seguinte (Domingo e quinto dia de pesca) partimos para o lago que mais tempo demoramos em transpor, cerca de 3 horas, o Dino teve que limpar muitos galhos e árvores secas que estavam caídas no canal entre o Rio e o Lago e logo na entrada o Anderson abre a contagem trabalhando rápido uma isca Dr. Spock da KV. Na seqüência uma linda explosão na mesma isca do Anderson, demonstrando ser um grande Açu, o peixe saiu da galhada e correu para o meio, mas abruptamente mudou de rumo e foi novamente para a galhada tomando muita linha e o Anderson não conseguiu segurar…. peixe no enrosco e Dino remando em cima dele, quando chegamos perto o peixe ainda estava lá, e a confirmação, um lindo Açu fisgado (bruto). Tentamos de todas as formas liberar o peixe que estava cansado e como não conseguimos o Dino já se preparava para mergulhar atrás do bicho quando em uma última cabeçada o peixe escapa, eu não acreditei, quase consegui pegar ele com as mãos, o Dino tinha conseguido tirar da primeira galhada e ele conseguiu se enroscar em outra e não teve jeito, ele venceu!!! Anderson (grande amigo e parceiro) teve o mesmo sentimento e pensamento do Rogério quando “perdeu” um dos grandes, não falei, mas pensei está batizado.

Esse lago foi o mais difícil de chegarmos e o lago que mais conseguimos ver explosões de grandes Tucunarés, mas infelizmente eles não queriam nada com nossas iscas, tentamos de tudo (até meia água e Jigs) sem sucesso. E como a distância de retorno era longa por volta das 14h:00min, partimos em retirada e na saída do lago observamos grande explosões de grandes Açus caçando, então “vamos bater isca”, mas a única grande ação que tivemos foi uma batida na Dr. Spock que eu estava utilizando e o Açuzão mandou a isca a 2 metros de altura. Rogério ainda conseguiu pegar um Tucunaré Borboleta no mais pequenos peixes que não tiramos fotos Choveu durante toda a noite e um forte vento na madrugada descobriu nosso acampamento, águuuuaaaaaaaaa em todo mundo e corre para pegar a lona e cobrir novamente a suíte…. Ufa conseguimos, e após um tempo com as redes ainda molhadas conseguimos retomar o sono…. Na manhã apesar de estarmos em um acampamento e tudo molhado, saiu o café da manhã e abaixo a foto de nossa cafeteira expressa…..rs…. era daí para o coador de pano e Garrafa térmica. Show de Bola!!!!!!!!!

No dia seguinte iríamos esperar pelo Gadelha que saiu de Barcelos com um Barco de 6 metros para abastecer o acampamento com alimentos, gelo e combustível para os próximos e últimos 5 dias, e resolvemos apesar do Rio Demeni cheio, pescar nas praias (debaixo de muita chuva) que ainda era possível visualizar. Abaixo o nosso possante “pau para toda obra”, agradeço ao Gadelha por arrumar para nós um barco de 8 metros, conforto e segurança garantida para 3 pescadores. Como esperado dia bem fraco de Tucunarés, mas conseguimos 2 belas Aruanãs. Por volta das 15h:00min, chega o Gadelha e o Guia Radiomar, mais conhecido como Radio com o barco lotado e já recebo uma boa noticia, eles ficariam conosco por 2 dias, aí pensei se com um Dino estamos bem imagine com o Dino + o Radio….. Após essa boa noticia e como não estávamos muito cansados (não arrastamos barcos) resolvemos fazer uma pescaria de peixe de couro (até fiz a barba…rs….), mas nem eles quiseram aparecer para a foto, apenas o Anderson conseguiu capturar uma enorme arraia que não tiramos fotos, mas bebemos várias cervejas e contamos muitas piadas e demos muitas risadas por mais de 2 horas.

Agora tenho o prazer de apresentar para vocês a Maria Ludovico (ganhou até uma rima) “onde ela mete a boca urubu mete o bico”..rs…. na verdade estávamos em uma região extremamente selvagem na selva amazônica e essa era mais uma proteção (propriedade do Dino e devidamente registrada) que sequer foi preciso colocar um cartucho, a proteção divina foi suficiente e todos os dias agradecíamos a Deus. Dia seguinte time reforçado e vamos arrastar barco, mas quem tem Dino e Radio trabalha pouco… praticamente ficávamos carregando os equipamentos e caixa de isopor. Chegando ao lago que certamente não foi pescado com iscas artificiais deste outubro/2010, o Rogério abre o placar, eu não fico atrás e capturo o primeiro, o segundo e também o terceiro. Anderson vem na seqüência com o seu também. Nesse momento acho que o Rogerio ficou nervoso e mandou um Tucunão nas nossas cabeças que mais parecia um Míssil Tomahawk e vejam abaixo o tamanho da criança…..

Enquanto o Rogério brigava com o Tucunão eu mandei a isca em cima e engatei também um dos bons e conseguimos fazer a foto de mais um belo duble em nossa pescaria e acredito ser o casal que conseguimos capturar. Eu achei que essa foto ficou Show demais…..!!!! Tínhamos poucas horas para pescar nesse lago, assim como em outros também, e resolvemos não parar para o almoço apenas uma seção de petiscos. Alias, utilizamos essa estratégia também nos dias com fortes chuvas, devido ficarmos impossibilitados de prepararmos refeição, assim, os famosos “tira gosto” e também o tradicional Sashimi entravam em ação. Após a seção “tira gosto”, Gadelha fisga um bonito peixe, mas o primeiro passador da vara apresentou problemas (caiu à porcelana) e a linha multifilamento se rompeu. Ele não desanimou, trocou o equipamento e na seqüência outra fisgada firme do Gadelha e esse após alguns minutos de briga vêm para a foto. Segura o Bicho Gadelha!!!!

Pouco depois engato mais um bom Tucunaré… esse lago era demais….. o Dino falou dele a semana toda e confirmamos sua produtividade . Dia seguinte foi à partida do Gadelha e Radio, e nós continuamos arrastando o barco, mas desta vez trocamos de barco com o Gadelha, mandando ele para Barcelos com o de 8 metros e todo o lixo produzido até aquele momento e nós ficamos com o barco de 6 metros, muito mais leve para as nossas “empreitadas”. Estávamos marcando diariamente e o nível do Rio Demeni que em 3 dias em nossa chegada havia secado em 7 cm, já estava com 1,5 metros acima, coisas que apesar das chuvas diárias somente a natureza pode explicar. Diante desse cenário continuamos nas lagoas. Eu estava com os braços arrebentados e passei a pescar por alguns períodos com a isca Perversa e com poucos arremessos mais um lindo Tucunaré na linha.

Nos dias seguintes continuamos a nossa pescaria nas lagoas e grandes peixes foram capturados. As mãos (no meu caso apesar das luvas) já estavam com muitas bolhas de tanto arremessar, trabalhar grandes iscas e ficar o dia todo com os pés molhados, mas sabíamos que oportunidades como essas são raras e não desperdiçamos nem um minuto sequer e em outro Lago o Rogério depois de uma grande briga tem mais um grande Tucunaré Açu nos braços. Eu e o Anderson também trabalhamos iscas insistentemente e a persistência nos presenteou com belos peixes…. E tome TucunossauroREX na ponta da linha!!! No último dia de nossa pescaria combinamos de aproveitar ao máximo e curtir o dia com longas paradas para descanso e bate papo, mas mesmo assim entre umas cervejas os peixes apareceram e o Rogerio inicia as capturas. Em seguida o Anderson estava já bem cansado e quieto trabalhando uma Dr. Spock bem devagar e eu disse para ele que, como os peixes estavam bem manhosos que trabalhasse a isca bem rápida, e não deu outra, ele conseguiu capturar outro bonito Açu.

Eu não estava conseguindo sucesso e o Rogério já começava a tirar uma com a minha cara (vocês não conhecem esse cidadão…rs….) então diante do sucesso do Anderson resolvi trocar de isca e colocar também uma Dr. Spock osso com o dorso verde e caprichar nos arremessos dentro das estruturas e não demorou muito e fisguei o primeiro. Após a foto olhei para o Rogerio e falei… e aí amigão, tudo beleza contigo!?!? Diante desse peixe animei e como o Lago que estávamos era pequeno, comecei arremessar e fazer barulho para todos os lados e com um arremesso longo e a isca já trabalhando a 4 metros da margem vem aquele som estrondoso que os pescadores de Tucunaré tanto adoram, foi uma explosão sensacional e uma grande briga se inicia, peixe fisgado em disparada para galhada, Dino desesperado e remando como um louco para o meio do Lago e eu berrava em plena Selva Amazônica “vem ni mim tucunão” o peixe teve uma tomada de linha incrível e foi duro segurar o bichão, mas graças ao equipamento de qualidade e ao Dino que tocou o barco no remo para o meio do lago mais rápido que no elétrico, conseguimos, após a terceira corrida levar o bicho para o meio do lago e curtir a briga, Peixe muito, mais muito bonito e credito 70% dele para o Dino. Esse peixe foi fisgado pela cabeça e certamente se chegasse à galhada teria escapado. Foi o último e belo peixe de nossa excelente pescaria…… valeu Dino!!!!!

Checklist básico de alimentos para 4 pessoas :

Deixo um até breve para cidade de Barcelos, até porque, já estamos preparando a próxima!!!!

Amigos, esses relatos são um pequeno resumo de nossa grande aventura, tivemos muitos outros peixes fisgados como Traíras, Tucunarés (Paca, Popocas e Borboleta), Jacundás, Piranhas e até bons Tucunarés que capturamos durante fortes chuvas e ficamos impossibilitados de tirar fotos, mas certamente esses estão gravados em nossa memória. Gostaria de salientar, que em uma aventura assim, é importante e necessário, um bom preparo físico dos participantes e colaboração efetiva de todos, posso dizer com toda certeza que as amizades saem fortificadas/fortalecidas, e não pode de forma alguma faltar espírito de companheirismo e colaboração entre todos os participantes. Isso não faltou em nosso grupo e gostaria de deixar um ENORME abraço aos grandes amigos Rogério, Anderson, Dino, Gadelha e Radio. Esperamos conseguir com essas 2 matérias transmitir para vocês leitores de nosso site a emoção de uma pescaria selvagem e principalmente passar dicas e informações aos que gostam deste tipo de aventura.“O Amazonas é sem sombra de dúvidas, o lugar onde nossos sonhos se tornam realidade.” Dicas e considerações adicionais:

Devido às fortes chuvas e necessidade constantes de arrastar o barco para pescarmos nos lagos, praticamente ficamos molhados durante todo o dia, assim, é necessário um calçado adequado, uma boa capa de chuva e roupas leves.

Para essa região repelente (tradicional) e protetor solar e ambos em abundância. Praticamente não utilizamos o alicate do tipo Boga Grip, ele era utilizado apenas em peixes com dentição (Aruanã, Traíra, Piranha) e para retirada das iscas artificiais. Para as fotos levantávamos os peixes utilizando luvas ou pegávamos os peixes diretamente com as mãos, entendemos que desta forma, prejudicamos menos os peixes e nós pescadores não corremos riscos de acidentes.

Equipamento como varas, carretilhas/molinetes, garateias, argolas e linhas devem ser resistentes e de boa qualidade, perder um TucunossauroREX por falha no equipamento é extremamente frustrante.

O custo de uma pescaria desta natureza fica bem mais em conta (entre 40 e 50% menos) em se comparando com o Barco Hotel que certamente detém maior conforto e comodidade. Baseado em minha (pouca) experiência de pescarias no Amazonas, a sugestão é de se pescar no mínimo por 6 dias e no máximo por 10 dias seguidos, visto que, como puderam observar nas matérias o nível das águas se alteram muito e pode comprometer a pescaria de poucos dias, acima de 10 dias, o cansaço literalmente toma conta do nosso corpo devido o grande esforço físico (média de 800 arremessos e trabalho das iscas artificiais por dia). Passagens aéreas devem ser providenciadas com um mínimo de 6 meses, atualmente existem apenas 2 vôos semanais da Trip entre Manaus x Barcelos x Manaus, com uma aeronave de pequeno porte. Hospedagem em Manaus deve ser providenciada com antecedência de 45/60 dias da data da viagem Hospedagem em Barcelos a pousada do Gadelha tem todo o conforto necessário e bom custo x beneficio Imprescindível uma pessoa para Gerenciar a aventura e recomendamos os serviços do Allen Gadelha. Obrigatoriedade de uma guia local que conheça muito bem a região que ocorrerá a pescaria, bem como, que conheça e tenha noções básicas na selva, nesse quesito o Dino é nota 1000, além de ser um excelente e experiente guia de pesca, tem a preocupação com a nossa integridade física.

Grande abraço a todos,

Silvio Fishingtur

#Pescaria #Emoção #Adrenalina #Natureza #Amazônia #RioDemeni #BarcelosAM #Amigos

7 visualizações
Carretilhas de Pesca Penn
Contato Fishingtur

Parceiros

bruta.png
Lumis.png
Enz Miçangas e evas
LogoSimon.png
girls fishing lovers.png
Logo.png
universo da pesca.png
Oculos Matuto.png
ESTILO GOIANO.png
go pro 1.png
massa paturi.png
boias de pesca, boia cevadira, boia torpedo
Logo Completo Colorido recorte.png
Logo Step quadrado Tranparencia.png

Step'lc Confecções

Rua Nova Cidade - Vila Olímpia - São Paulo - SP

273.441.558-50

fishingturpesca@gmail.com

Prazo de Entrega da Loja de 10 a 14 dias úteis

O maior portal de Pesca e Turismo do Brasil

Fishingtur Pesca e Turismo 2007