Hotel Fazenda Point da Pesca Corumbá - Alexânia - Brasília


Local: Hotel Fazenda Point da Pesca Corumbá - Alexânia - Brasília

Ola amigos e leitores do Fishingtur;

O Fishingtur esteve no Hotel Fazenda Point da Pesca, próximo a Brasília desta vez representado pelo amigo José Levy.

Por José Levy:

Meu nome é Levy, estou aqui novamente para contar uma grande pescaria que fiz, juntamente com minha família e meu amigo Alvaro e seu filho Alvinho, no Point da Pesca.Fizemos uma viagem tranquila e rápida chegando em Brasília onde o André proprietário de uma confortável Van já nos aguardava, e em menos de uma hora já estávamos no pesqueiro, onde arrumamos nossas tralhas e fomos a pescaria.

Como reservei com certa antecedência, consegui ficar no chalé de madeira a beira do lago, onde pescamos a maior parte do tempo. Preparei um equipamento para pirarara com um pedaço generoso de queijo a dois metros da margem e em poucos minutos minha carretilha Penn começa a cantar de forma assustadora corri e fisguei, após uma briga de gente grande saiu pra foto esse belo pirarucu.

Havia lido comentários que os tambas de lá são muitos manhosos e dificilmente pegam na boiá cevadeira com eva's e miçanga, felizmente não passou de um engano, pois, assim que comecei a cevar com as boias Barão, as explosões indicaram que a pescaria naquela modalidade seria ótima, e foi o que aconteceu, vejam a quantidade absurda de peixes capturados.

Os peixes estavam tão ativos que até minha filha Raquel, minha esposa Lana e o Alvinho aproveitaram a enorme quantidade de peixes no lago.

Minha filha estava doida para pegar um pirarucu, avisei sobre a força do bicho mas ela insistiu, regulei a carreta e deixei. Novamente a Penn grita e falei "vai lá que deve ser o pirarucu", e não é que ela foi mesmo, tirou a vara do suporte travou de deu uma forte fisgada, que quase a levou para o lago, e após um longo tempo tirou esse lindo peixe.

Na manhã seguinte tirei o queijo da geladeira para descongelar um pouco e facilitar seu corte. Enquanto isso já estava brigando com outro pirarucu que me deu um trabalhão, pois todos ainda estavam dormindo e os funcionários ainda não haviam chegado. Após a captura, foto e soltura de mais um pirarucu, fui pegar outro pedaço do queijo, e para minha surpresa, cadê o queijo? Não é que um cachorro havia roubado a peça quase que inteira da mussarela!!!

Depois disso os pirarucus não entraram mais, nem na salsicha, nem na cabeça de peixe e o jeito foi aproveitar esse maravilhoso pesqueiro e continuar a pegar os tambas que não davam trégua, até que caiu uma forte chuva que tbm foi nossa despedida, e todos, todos com os braços cansados de tanto peixe.