Clube de Pesca Lago Verde - Goiânia - GO


Olá Amigos!

O Fishingtur e a Amental Fishing, juntos, estivemos na cidade de Goiânia, especificamente no Clube de Pesca Lago Verde. Nesta aventura, eu(Marcio David) e nosso amigo Jean Coqui, saímos de São Paulo de carro, pescamos em outros três pesqueiros e terminamos nossa viagem neste belo pesqueiro de nosso amigo Norton.

Chegamos ao Lago Verde no finalzinho da tarde, eu montei apenas um equipamento para a pesca de arremesso com o pão flutuando e o Jean começou com os Ultra LIghts da Amental Fishing, com massa de fundo e foi só começar os arremessos para fisgar grandes exemplares de Curimbatas.

Tive algumas ações no pão flutuando, mas dois deles cortaram minha linha e outros escaparam. Decidi então fazer a pescaria com as massas Paturi de fundo, em especial a carnívora escura e Panetone. E assim fisguei alguns redondos junto com o Jean.

Nossa noite estava bem animada, a massa nem chegava ao fundo do lago e a linha já esticava. O Jean fez a festa nos Uls.

Eu estava com uma das melhores varas no mercado para essa categoria e modalidade de pesca. Usando a Vara Claymore da Aqua Rod, vara inteiriça com 2,10 mts, com uma carretilha Revo S da Abu Garcia e a linha, como sempre a Aqua Line 0,38mm. E os peixes, os peixes estavam sempre na ponta da linha.

As 22h seguimos para nosso quarto, e na manhã seguinte as 7h já estávamos na beira do lago. Por ser dia de semana, o pesqueiro estava praticamente vazio nesse horário. Usando a Vara Claymore da Aqua Rod, montei a Boia Cevadeira Gigante das Jóias Barão de nosso amigo Emerson, chicote de 2 mts com boinha e as anteninhas também da Barão. Em poucos arremessos, já tínhamos fisgado alguns exemplares.

Notamos que neste dia, pela manhã os Pacus e Patingas estavam muito, mas muito ativos na ceva. A cevadeira nem caía na água e já explodiam nos evas.

Decidimos mudar de lugar e seguimos para a lateral do lago, agora apenas com o pão flutuando. Notamos que os peixes grandes estavam todos por ali, parados, apenas tomando sol até que uma boia perdida passou bem a nossa frente, isso há uns 5 metros da margem, mas estávamos somente com o anzol direto na linha e não tínhamos como arremessar para resgatar a boia. Foi aí que o Jean passou perto do lixo e viu metade de um limão.... e foi isso mesmo, ele iscou essa metade de limão e no segundo arremesso conseguiu acertar o chicote da boia e começou a brigar com o peixe, e que briga. O peixe deu longas corridas, tomava muita linha e depois de uns 20 minutos tivemos a grata surpresa de ver não só um peixe grande, e sim um legítimo Tambaqui, o verdão, o incrível Hulk do Cerrado. E pode-se dizer que foi no limão. rsrsrsrsr.

O detalhe de o Jean ter apanhado e muito desse verdão, eu prefiro não comentar, mas doeu !!!rs Enfim, com o sol forte das 11h da manhã, recebemos a visita do grande amigo José Leão, o qual é um dos maiores representantes das Boias Barão no estado de Goiás. E ao dar um volta pelo lago, vi que muitos e grandes peixes estavam na superfície em um canto do lago onde normalmente quase ninguém pesca. Voltei, peguei meu equipamento, a vara Claymore da aqua, apenas com o anzol, para a pesca com o pão flutuando, peguei o saco de pães e sai na caça aos tambas. Parei em um quiosque e tinha no mínimo uns 50 tambas grandes espalhados pela superfície. cena linda de se ver. Isquei metade de um pão e em um arremesso de uns 25 metros, meu pão caiu bem próximo de uns três tambacus, mas sem menos esperar uma explosão esticou a linha sem ao menos eu conseguir fisgar. Um corrida muito forte cortando a lateral do lago em direção ao meio me deixou completamente sem ação e depois de uma corrida de mais de 40 metros, o peixe escapou. Arremessei novamente, este era um Tambaqui, era visível a tonalidade dele na água, meu pão caiu alguns metros antes dele, mas o vento foi carregando o pão e ao chegar próximo, o peixe se movimentou, ele sugou o pão e ao fisgar ele explodiu na superfície. Mais uma ótima briga até o verdão de entregar. E na sequencia ainda fisguei mais um exemplar.