O Fishingtur e Amental Fishing descobriram um novo point dos gigantes


Local: Pesk Pag dos Amigos – Caldas Novas – GO

Caminho do Lago – Caldas Novas – GO

064 3453 3999

Data: 07 e 08 de maio de 2015

Olá Amigos!

A Equipe Fishingtur, em uma super expedição pelo estado de Goiás, juntamente com os amigos Felipe e Daniel da Penn-Raíba Carretilhas e o mais novo parceiro Jean da Amental Fishing, além de visitar os melhores pesqueiros de Goiás, tivemos dois dias livres, depois dos Penn-Raíbas retornarem a SP, eu(Marcio David) e o Jean Coqui decidimos pesquisar e ir em busca de novas opções na região onde estávamos hospedados, na cidade de Rio Quente. Passamos a manhã colhendo informações e as 15h chegamos na cidade de Caldas Novas, sul do estado de Goiás.

Nosso destino seria o Pesk Pag dos Amigos, muito bem recomendado, e assim partimos estrada a fora até achar o pesqueiro. E o detalhe, depois de 6 dias de pesca, já estávamos totalmente sem iscas, somente algumas rações na pinga e a massa fabricada pelo Jean. Chegamos rapidamente ao pesqueiro e logo ficamos impressionados com a beleza do local, tudo muito arrumado e muito limpo. Um grande restaurante e lagos, muitos lagos, são ao todo 22 lagos. Dois deles muito grandes e com água cristalina e os demais com diversos tipos de peixes e modalidades de pesca.

Conversamos rapidamente com os locais e seguimos para o lago onde estavam os grandes peixes. Pelos dizeres, grandes Tambacus, Tambaquis até 37 quilos e Pirararas que chegavam a 55 kg. Mas naturalmente nos olhamos e mesmo sem acreditar, seguimos com toda expectativa do mundo.

Ao chegar no lago, este de pequeno porte se comparado aos outros, nos alojamos em um dos quiosques, e na outra margem, somente um casal pescando. Começamos a arrumar nossas tralhas. O Jean foi em busca de iscas no limpa peixe e enquanto isso já fiz alguns arremessos com a Bóia Cevadeira Barão com chicote de 80cm com um chinú 8 e a ração na pinga de goiaba. Fiz mais alguns arremessos e comecei a montar as varas de pirararas. Minha boia afundou e o Jean que estava por perto fez todo o árduo trabalho de tirar nosso primeiro peixe no Pesk Pag dos Amigos, um legítimo Tambaqui.

Tambaqui - Jean

Continuei a montar os equipamentos, quando o senhor que estava pescando com sua esposa passou pelo quiosque e perguntou: - Você é o Marcio do Fishingtur ? Enfim, era um leitor assíduo de nosso site, que mora aqui em SP e estava passeando por Caldas Novas. mas mal acabamos de conversar e sua boia afundou e sua esposa brigou muito tempo com mais um verdão. Um bonito Tambaqui. Ela não queria segurar o peixe, mas eu não poderia deixar de registrar esse peixe.

Tambaqui - Fishingtur e Amigos

O Jean como de costume, montou seus conjuntos UL, fabricado por ele mesmo e com sua massa começou literalmente um festival de fisgadas, mas apenas os pequenos redondos e tilápias.

Pesk Pag dos Amigos - Caldas Novas

Pedimos uma porção de iscas de tilápias empanadas, e saboreamos esta ótima porção. Sobraram ainda alguns pedaços e sem pretensão alguma, isquei um pedaço no chinú 8 e arremessei a cevadeira próximo a outra margem. Em menos de 5 minutos a boia sumiu. Eu fisguei, mas a boia estava travada no fundo. Forcei e nada, até que lentamente a linha foi se deslocando bem perto da margem, literalmente deitando o capim. Olhei para o Jean e disse: -É tamba e dos grandes….. Mas a briga estava totalmente em domínio do peixe, um tamba grande não ia ficar o tempo todo nadando com a barriga no barro na margem oposta, ele iria vir a meio, voltar, ir, pular etc…. Foi Quando vimos apenas a ponta do grande rabo vermelho aparecer no meio do mato. Era ela, uma Pirarara Gigante. Nesse momento, olhei para a minha carretilha Revo S da Abu Garcia com linha 0,33mm e a perna tremeu.

Briguei com esse peixe quase 20 minutos e ele apenas indo de um lado para outro até que travou, era um enrosco bem no canto do lago. Tentei fazer de tudo, mas não teve jeito, na primeira corrida minha linha do chicote estourou. Decepção geral, mas feliz por ter encontrado um lago tão interessante como esse. Montei novamente a mesma boia, com chicote de 80cm e chinú 8, isquei outro pedaço da tilápia empanada e arremessei. Esse lago pode-se pescar apenas em uma margem, o outro lado é barranco com mata preservada, ou seja, os peixes ficam por lá. Não demorou muito e minha boia começou a se arrastar de lado e afundou. Fisgada certeira e uma briga pesada, bem no meio do lago até que um grande e bonito Tambacu encostou e o Jean o tirou com o passaguá.

Tambacu - Marcio David

O Jean voltou com os equipamentos Ultra Light, fisgou mais alguns pequenos exemplares até que em uma das fisgadas e vara travou envergada e uma corrida calma e contínua denunciava ser uma Pirarara. O peixe foi indo, indo, indo, indo até estourar a linha. Nesse momento eu vi o quanto é forte e resistente essas varas fabricadas pela Amental Fishing.

Na sequencia o Jean teve outra ação, mas essa correu pra margem oposta, bem no raso, deu pra ver o lombo e o rabo vermelho fora da água até que ela se enfiou no meio dos galhos. O Jean deu a volta no lago, mas não deu tempo. o Bicho aqui é bruto demais.

Enquanto isso minha Bóia Cevadeira Barão estava lá, próximo a margem oposta até que:…..-Uéhhh Cadê minha boia ???? Corri e apenas estiquei a linha, foi o suficiente pro peixe nadar em disparada rente ao barranco… Dessa vez eu estava com outra carretilha com linha 0,37mm (como se fosse suficiente pra pirararas). Briguei com esse peixe por uns 15 minutos, sem que ele viesse 30cm. Apenas estava acompanhando suas corridas pela lateral. E quando tentei forçar um pouco, minha linha estourou na mão….. Desanimo total, mas quando olho, vejo minha boia indo devagar para a margem lateral até parar no barranco…

Peguei outro equipamento, com um chumbo e anzol e arremessei… fui trazendo minha linha (uns 30 metros), puxei uns 5 metros pro barranco e enquanto o Jean foi mantendo o peixe com a mão, eu passei a linha pelos passadores e amarrei grosseiramente na linha da carretilha e assim comecei novamente a briga. Eu andei de um lado para outro da margem umas 5 vezes, pois a Pirarara não podia tomar linha, eu tinha que manter o nó dentro da carretilha. Depois de uns bons 25 minutos o peixe foi encostando e conseguimos ver que era uma bonita Pirarara. Mas muito forte, com muitas rabadas na superfície e pequenas e fortes tomadas de linha, mas com calma e paciência conseguimos “embarcar” esse belo exemplar.

Pirarara - Marcio David

E para fechar nossa tarde de pescaria, nossos amigos de São Paulo fisgaram mais um exemplar do verdão, o nosso Tambaqui.

Tambaqui - Pesk Pag dos Amigos

Eu e o Jean, saímos do pesqueiro totalmente satisfeitos, mas com gostinho de quero mais. Íamos voltar pra São Paulo, mas decidimos passar mais uma noite na cidade para poder retornar ao pesqueiro e foi o que aconteceu. Na manhã seguinte chegamos no pesqueiro por volta das 10h e nos instalamos bem no meio do lago. E logo cedo ao chegar no limpa peixe fomos surpreendidos por uma cena que encheu os olhos, Isso porque queríamos um pouco de iscas para Pirararas.