Pesk Pag dos Amigos - Caldas Novas - Goiás


Olá pescadoras e pescadores!

Neste ultimo mês a equipe Fishingtur esteve no Pesgue e Pague dos Amigos, localizado no caminho do Lago, Km 04 na cidade de Caldas Novas – GO, pesqueiro que conta com 22 lagos, sendo dois destes bem amplos. Um desses lagos está localizado ao lado do bar e é dedicado a Pesca Esportiva; lago este que é moradia de vários gigantes como os redondos Tambaquis e Tambacus com exemplares acima de 35 kg, Pacus, além de gigantescas Pirararas com peso até acima de 55 kg. Na oportunidade estiveram presente Eu (Camila) e meu esposo Ricardo meu parceiro inseparável de todas as pescarias. Chegamos ao pesqueiro por volta das 8h da manhã, estava bem tranquilo, fomos para “ilha”, que fica mais isolada ao fundo do lago. Organizamos a nossas tralhas e começamos a montagem do nosso equipamento para pesca de fundo, no qual usamos mortadela, salsicha e fígado como iscas; finalizada a montagem arremessamos as varas na lateral do quiosque e as colocamos nas esperas. E em seguida iniciamos a montagem das nossas varas para pesca de superfície, e claro que não da para falar em pescaria de superfície, sem falar nas Boias Barão, que tem os melhores produtos para todos os tipos de pescaria. Assim, montamos as nossas varas, com boias cevadeiras da Barão, chicote de uns dois metros (0,43mm), boias guias para regulagem da altura do chicote e anzol chinu sure nº 10 e 12.

Apesar de estar com um pouco de vento, fizemos alguns arremessos deixando a isca na superfície, mas, os peixes quase não subiram. Tentamos também o sistema do palminho, porém sem sucesso, então, decidimos mudar o esquema subindo a boia guia para junto da boia cevadeira, deixando o chicote afundar todo. Depois de modificar o sistema fiz três arremessos seguidos no centro do lago com ração na pinga, e após uns 2 minutos minha boia afundou com muita força e a linha da minha carretilha foi soltando com toda velocidade; estava iniciada a primeira briga do dia. Uma briga bem pesada com grandes tomadas de linha e após mais de 15 minutos de muita briga, eis que um belo Tambacu de 15 kg saiu para nossos registros.

Recuperada as forças, voltamos à pescaria, mantendo o sistema de afundar a isca, fisgamos mais alguns pequenos exemplares de Tambacus e alguns pacus. Então chegou a hora do almoço fizemos uma pausa para degustar um excelente almoço servido no pesqueiro. Estão servidos?

Após este almoço delicioso, o jeito é voltar a pescar, afinal vara fora da água não dá resultado. Estava um sol bem forte e o dia muito quente. Mas mesmo com muito calor, os peixes começaram a subir mais na superfície, então decidimos mudar o sistema, passando para pesca utilizando o palminho. E após algum tempo tentando saiu alguns exemplares para fotos. E eis que apareceu um belo exemplar dos Tambaquis do futuro, atacando a ração na pinga, pensa num peixe bom de briga, este não se entrega fácil.

Também podemos registrar um belo Pacu que deu o ar da graça.

O clima começou a mudar, trazendo um vento constante e até um pouquinho frio, dificultando muito a pescaria, mesmo assim mantivemos nossos equipamentos na água, e conseguimos capturar mais alguns exemplares menores, porém ainda tivemos algumas outras ações de grandes peixes com linhas estouradas e boias perdidas, mas pescaria é assim, uma nova aventura a cada pescaria.

Ao final do dia os peixes estavam subindo bastante próximo a ilha, então, cevei com um pouco de ração e arremessei um pão flutuando uns 30 m à frente de onde estávamos e cevei também com uns pedaços de pão, coloquei a vara no suporte e fui organizar as tralhas, afinal já estava quase na hora de partir. Não foram uns 5 min quando olhei para lago minha vara esta toda emborcada, sai correndo e imediatamente fisguei o peixe e iniciei uma briga monstra, que aflição não sabia ainda o que estava me esperando do outro lado da linha, mas tinha a certeza de ser um peixe muito grande pelo peso da briga. Quanta emoção, apesar de já pescar a algum tempo a cada peixe fisgado parece que é o primeiro, o sentimento é inexplicável.

Muitos minutos se passaram e já estava com aquela aflição para tentar descobrir que gigante estaria na ponta da linha, e após mais ou menos 20 minutos de briga, eis que o meu troféu aparece pela primeira vez à superfície da água, sim amigos era um gigante e lindo Tambaqui, o incrível Hulk da Amazônia bem ali na ponta da linha, meu coração disparou, minha pernas tremiam de tanta emoção. E depois de muita resistência e luta, ele se entregou e podemos fazer vários registros deste lindo troféu de 22 kg e devolvê-lo a água para que mais e mais pescadores tenham a oportunidade de sentir a mesma emoção descrita acima, podendo segurar este troféu nos braços e admira-lo com muita gratidão como eu tive a oportunidade neste dia de pesca.