Hotel Fazenda Apingorá – Uma ótima estrutura com muitos lagos e grandes peixes


Local: Hotel Fazenda Apingorá – São Lourenço da Serra – SP Data: 01 e 02 de Agosto de 2009

Olá Amigos

Nossa equipe foi conhecer este final de semana o Hotel Fazenda Apingorá, na cidade de São Lourenço da Serra, no interior de São Paulo, aproximadamente 50km da capital

.

Para chegar ao local é muito simples, seguindo pela Rodovia Régis Bittencourt, siga até o km 308, logo depois da entrada da cidade no km 307, faça o retorno pela sua direita, passando por baixo da Régis, volte para a rodovia sentido São Paulo por mais 500 mts. Fique atento a uma placa do Apingorá e entre a sua direita ( é a primeira estradinha depois que você retornar para a rodovia). Siga por uma estrada de terra por exatos 7km, com muitas placas pelo caminho indicando o local. Não tem erro, é muito fácil de chegar.

Chegamos ao local na sexta-feira a noite, fomos muito bem recebidos pelo segurança na portaria que nos encaminhou até os chalés. Depois de alojados, fomos ao restaurante onde a Silvia, Chef da cozinha nos preparou ótimos lanches. Como estava frio, ficamos em um espaço reservado, bem aconchegante. Reparei que na parede tinha vários certificados de cursos culinários da Silvia. promessa de grandes refeições.

O tempo estava muito ruim, frio e garôa. Decidimos descansar e começar a pescaria na manhã seguinte.

O chalé totalmente equipado com frigobar, tv, dvd, uma cama de casal e uma beliche e muitos, mas muitos cobertores e edredons.

Na manhã seguinte, estava muito frio, mas tinha parado de chover. Ao sair do chalé dei de cara com 2 tucanos que se assustaram e foram embora, andei um pouco pelo lugar e avistei um lindo pica-pau, garças e outras espécies de pássaros, verdes, amarelos, azuis. Além das milhares de maritacas. Realmente um festival de cores e cantorias.

O Lugar é fantástico, e super bem cuidado. Apesar de ser muito, mas muito grande, toda a área é formada por um jardim japonês, cheio de arbustos e muitas flores. Raramente você pisa na grama ou na terra, pois o local é todo formado por caminhos de pedras, somente na beira de alguns lagos que você pisa na grama, mas em outros lagos as margens são de pedras também.

Encontrei o Walter, que cuida dos lagos de trutas, o Apingorá é um grande criador de trutas. O Walter nos forneceu informações sobre os lagos e logo depois falamos com o Julio que cuida do restante dos lagos. A pescaria seria feita então em dois dos lagos, o maior perto da entrada e dos chalés e o lago 2 que fica mais próximo ao restaurante. Os peixes existentes nesses dois lagos são iguais, porém no lago 2 por ser bem menor a possibilidade de fisgar bons peixes com o frio seria melhor. Já para os pescadores de carpas cabeçudas é aconselhado ficar no lago grande.

Começamos nossa pescaria no lago 2, tendo como objetivo os tambacus que chegam a 22kg. Mas como todos nós sabemos, essa época fria não é o peixe mais apropriado para se pescar, principalmente em regiões frias.

Passamos então para a pesca de carpas e tilápias. Montamos equipamentos leves e médio-leves, varas de 10-20lbs com carretilhas e linhas 0,32 e 0,36mm. Usamos as Mini-Bóias Cevadeiras Barão com chicotes de linha 0,30mm, bóinha e anzol Chinú n. 4. A isca da vez foi a ração na pinga.

Bastou alguns arremessos para os peixes começarem a rebojar, muito manhosos, mas além das tilápias dava para ver que outras espécies estavam por ali.

A boinha afundava muito rápido e soltava, a fisgada tinha que ser ligeira também, até que o primeiro grande peixe foi fisgado além das tilapias.

Um fato difícil de ser visto em pesqueiros. Aqui no Apingorá todos os peixes estavam com a boca em perfeito estado. As carpas com a boca perfeita sem rasgos, furos, mandíbulas quebradas e outras maldades. A preservação do peixe é total.

Entre as carpas, as tilápias também apareceram.

A pescaria de carpas foi bem divertida, principalmente com os equipamentos leves. Usamos a ração na pinga de 3 a 10cm de profundidade.

Segundo o Julio e o Walter, os lagos são recheados de carpas capins, pacus, tambacus que chegam a 22kg, tilápias, grandes piaus, trairões que chegam a mais de 5kg e muita, mas muita carpa cabeçuda. Conversei com outros pescadores que frequentam o local e ouvi muitos relatos de grandes traíras no lago grande. Exemplares de até 6kg, fisgadas a noite com tilapinhas vivas. Outro pescador nos disse que chegou a fisgar mais de 25 cabeçudas em um único dia, piaus de 5kg e pintados de até 18kg.

A última remessa de peixes que foi solta no lago principal tinha tambacus na média de 7kg, pacus e carpas capim e cabeçuda. Realmente o lugar promete boas pescarias assim que esquentar o tempo.

Entre as carpas e tilápias era comum ver grandes rebojos dos tambacus, mas estavam muito manhosos e comendo pouco.

Nem insistimos muito e continuamos na divertida pescaria de carpas e tilápias.

Vocês não em idéia da qualidade das refeições no almoço e no jantar. Mas isso vocês vão poder acompanhar na matéria de turismo. Nota 1000 para a Fazenda Apingorá. Gostaria de agradecer a Ariane pela confiança em nossos trabalhos e pelo bate-papo.

Depois do jantar, nossa equipe agora com o Júnior também resolveu se divertir no salão de jogos. Ficamos até as 23h jogando Snooker, Pinbolim, Ping Pong e Dominó. Depois disso todos foram dormir, mas eu e o Felipe resolvemos tentar um pouco de cabeçudas no lagão.

Depois de montado os equipamentos e já com os chuveirinhos na água com as Massas Paturi, montei uma vara de 10/20lbs com carretilha e linha 0,36mm, uma pequena chumbada, um anzol chinú n. 9 e como isca uma pequena tilapinha. Arremeçei a uns 3mts da margem em um canto bem escuro do lago, onde diziam ser a casa dos trairões. Continuamos a pesca de cabeçudas, mas com não levamos os luminosos ficou bem dificil.

O lagão tem iluminação em uma das margens, garantindo assim toda comodidade ao pescador. O frio foi aumentando e a serração caindo até que o barulho da fricão da minha carretilha nos despertou, corri até a vara que praticamente já estava com a ponteira dentro da água, relutei em conseguir tirar a vara do suporte mas consegui.

O peixe não parava de puxar linha e como o lago é bem grande o danado levou mais de 80mts de linha na primeira corrida. Fiquei com medo pois mais um puco e a linha ía acabar.

Eu trazia o peixe uns 10 metros e ele corria mais 20, foi assim por mais de 15 minutos até que consegui trazer um pouco mais, mas a força ainda era grande, agora ele corria na lateral, de um lado para outro. Somente depois de 45 minutos a primeira rebojada a uns 10metros da margem fez o coração bater mais forte. Era um bicho grande, mas era bem claro, dispensando a possibilidade de ser um trairão ou um tambacu. Pensamos em uma gigantesca carpa cabeçuda, mas com tilapinha como isca seria improvável.

Até que um monstro depois de 25 minutos apareceu na margem. Eu estava com um pequeno passaguá que mal cabiam as carpas de 6kg. Desespero total. Depois de muito pensar resolvemos tentar assim mesmo.

O peixe se afastou um pouco, travei o carretel e trouxe ele lentamente, caminhando para o lateral. O Felipe encaçapou a cabeça do bicho, joguei a vara no chão e me atirei no barranco tentando segura-lo pelo rabo.

Eu consegui segurar o rabo e o Felipe com uma mão estava o passaguá com a cabeça e com a outra mão ele travou o bicho pelo meio. Tivemos uma dificuldade absurda, mas conseguimos tirar este que foi o RECORD da Fazenda Apingorá até hoje.

Assim que tiramos o peixe o Sr. Adimir chegou e nos ajudou a pesar e tirar as fotos. Como estávamos com o passaguá pequeno, o jeito foi usar um saco de ração vazio para envolver o peixe e conseguir pesar.

Uma Gigante Pincachara de 25,620kg - Record na fazenda Apingorá.

O Felipe também quis aparecer na foto com o gigante. Fishingtur bate novo Record na Fazenda Apingorá. Tudo isso a 50km de SP. Menos de 1 hora de viagem.

Realmente uma grande surpresa, pois pela manhã, me disseram que o maior pintado visto tinha aproximadamente 18kg.

Hora de voltar para a água…

Depois disso guardamos as coisas e fomos domir, mais satisfeitos do que nunca.

Na manhã seguinte, depois de uma belo café da manhã, voltamos para o lago 2 com a pescaria com a mini cevadeira e ração na pinga. Novamente as carpas subiram e bons exemplares foram fisgados.

Nesta época do ano em que os redondos raramente se alimentam, a pescaria de carpas é uma alternativa que pode trazer ótimos resultados e fazer a alegria do pescador. Basta usar equipamentos leves que a briga é garantida.

Já no lago grande, o Júnior e o Felipe começaram com as bóias cevadeiras, chicotes de 0,50mm com ração na pinga, tendo como objetivo os redondos.

Os peixes até que estavam subindo mas muito manhosos até que uma capim afundou a bóia do Júnior.

Depois do almoço o Júnior fisgou um belo redondo também usando a ração na pinga como isca.

O diferencial da Fazenda Apingorá é a criação e os lagos para a pesca da TRUTA. Um peixe cobiçado pelos amantes da pesca com moscas, chamado de Fly.

Atualmente é praticado somente a pesca por kg, não podendo soltar os exemplares fisgados, mas a fazenda está querendo montar um lago esportivo para as trutas.

Eu e o Felipe pescamos por 15 minutos nesse lago, usei o equipamento de FLY com líder de linha 0,28mm e como isca, algumas moscas, ninfas e taturanas artificiais. Um pescaria muito divertida e como a água é totalmente transparente você ainda acompanha a caçada do peixe atrás da isca.

A Truta é um peixe muito sensível e por esse motivo é que a maioria dos lugares não permite o pesque e solte.

A pesca de Fly é um dos propósitos da Fazenda Apingorá e se o lago se tornar esportivo, a pesca de fly ganhará e muito e tudo isso a 50km da capital.

O lago de trutas tem a água muito limpa e gelada, deixando a espécie o mais próximo possível de seu ambiente natural.

Não deixe de ver a matéria de turismo na fazenda Apingorá, para você conhecer toda a estrutura, chalés, refeições, lagos e tudo o que o hotel pode oferecer.

Gostaria de agradecer a Ariane e o Sr. Mario pela confiança e recepção para com a nossa equipe e a todos do Hotel.

Fotos por Marcio, Felipe, Daniela, Adimir e Júnior Texto por Marcio David

Um forte abraço

Marcio David

AGRADECIMENTOS

Hotel Fazenda Apingorá

#apingora #hotelfazenda #carpas #traira #tilapia #truta #fly #fishingtur

0 visualização
Carretilhas de Pesca Penn
Contato Fishingtur

Parceiros

bruta.png
Lumis.png
Enz Miçangas e evas
LogoSimon.png
girls fishing lovers.png
Logo.png
universo da pesca.png
Oculos Matuto.png
ESTILO GOIANO.png
go pro 1.png
massa paturi.png
boias de pesca, boia cevadira, boia torpedo
Logo Completo Colorido recorte.png
Logo Step quadrado Tranparencia.png

Step'lc Confecções

Rua Nova Cidade - Vila Olímpia - São Paulo - SP

273.441.558-50

fishingturpesca@gmail.com

Prazo de Entrega da Loja de 10 a 14 dias úteis

O maior portal de Pesca e Turismo do Brasil

Fishingtur Pesca e Turismo 2007