Pesqueiro Matrinxã - Ótima pescaria no sul de MG


Local:Pesqueiro Matrinchã - São Sebastião do Paraíso – MG

Data:29 e 30 de Dezembro de 2011

Olá Amigos leitores de nosso site,

Nesse final de ano decidimos fazer uma pescaria para fecharmos o ano de 2011 e após algumas analises o Pesqueiro escolhido foi o Matrinchã que fica localizado na cidade de São Sebastião do Paraíso no Estado de Minas Gerais estando a aproximadamente 350 quilômetros de distância da Capital de São Paulo.

Eu (Silvio), Anderson, Adimir e meu sobrinho Gabriel fizemos a escolha pelo local por não conhecermos pessoalmente, por habitar os grandes redondos e, por recomendação da Aline Patrícia que também faz parte da equipe Fishingtur e que reside em Sebastião do Paraíso – MG e freqüentemente visita o local.

Tudo pronto e acertado saímos de São Paulo na madrugada de 29/12/2011 e após uma viagem tranqüila chegamos ao Pesqueiro Matrinchã às 08h00min h. da manhã. Na chegada, já foi possível observar a beleza do local com 2 grandes lagos, sendo um exclusivo para a pratica do Pesque Solte e morada dos grandes exemplares. Uma rápida conversa com os funcionários e rapidamente seguimos para umas das margens do lago para iniciarmos a pescaria que mais gostamos de praticar sendo a modalidade de cevadeira.

Nessa pescaria a equipe Fishingtur utilizou os seguintes equipamentos:

Varas Pampo e Kenzaki de 2.40 m. e vara Tornado de 2.10 m., das marcas Albatroz, Sumax e Marine Sports, respectivamente.

Carretilhas Shimano Curado, Caenan e Team Daiwa 150 HL, abastecidas com linhas monofilamento de 0.37mm e 0.40 mm.

As iscas foram às tradicionais EVA’s e Missangas de varias cores, o “beijinho” e as rações Labina e Guabi com as Bóias cevadeira e Foguete das Bóias Barão.

Iniciamos a pescaria por volta das 09h00min h., e os peixes estavam subindo bem na ceva, mas não engatavam nos EVA’s e Miçangas e após muitas trocas de cores e modelos consegui engatar um peixe bom, mas que acabou escapando logo no inicio da “briga”. Como a produtividade estava baixa com os EVA’s, partimos para a ração Guabi com 40 cm de profundidade e rapidamente o Anderson engata um bonito Tambacu. Na seqüência com mais um arremesso certeiro onde os peixes estavam rebojando o Anderson engata outro Tamba e desta vez o peixe “pesou”, mas por incrível que pareça esse peixe não brigou muito e se entregou rapidamente.

Diante dos 2 exemplares de bom tamanho, continuamos com as cevadeiras e adotamos a ração com profundidade de 40 cm e anzol Chinu N-9 e logo eu também engato um belo exemplar que brigou muito até se entregar para as fotos com a equipe Fishingtur.

O Gabriel que está iniciando em nosso esporte e ainda não tem muita prática com os arremessos longos com cevadeira, estava pescando basicamente com as Bóias Foguete da Barão e como isca o “beijinho” e rapidamente também consegue capturar os tambas.

O Adimir também não ficou atrás e após grande insistência posou para a foto com mais um belo tamba capturado no Pesqueiro Matrinchã.

Como iniciamos tarde a pescaria, rapidamente o estomago e o aroma do restaurante nos lembrou da hora do almoço que no Pesqueiro Matrinchã é simples, mas de excelente qualidade e sabor, como já é tradicional e peculiar na cozinha mineira.

Um almoço primoroso foi servido para a equipe Fishingtur, lembrando que, aos domingos o Pesqueiro ainda promove um almoço com musica ao vivo, nota 10!!

Após o almoço, retornamos para a pescaria e encontramos 2 grandes amigos também freqüentadores do nosso site e do pesqueiro o Jader e o Emerson de Guaxupé – MG, cidade que fica a aproximadamente 80 quilômetros dos Pesqueiro Matrinchã. Eles ficaram ao nosso lado e também capturaram grandes peixes durante toda à tarde.

No período da tarde a pescaria continuou produtiva e vários Tambas foram capturados pela equipe Fishingtur.

A pescaria durante a tarde se mostrou muito produtiva e mesmo na modalidade de cevadeira com guabi com 40 cm de altura e ou chicote de 2 metros com “beijinho” as capturas foram constantes.

Como a ação dos redondos estava bem produtiva, não tentamos a pescaria de Peixes de couro (Cachapiras e Pintados) e também das Carpas que no lago que estávamos pescando no Pesqueiro Matrinchã encontra-se em grande quantidade. Assim, fechamos o primeiro dia de pescaria com mais 3 Tambas sendo um de bom tamanho capturado pelo Anderson.

No dia seguinte, começamos cedo e antes mesmo de ter preparo um equipamento o Anderson já havia capturado um bonito Tamba que seguiu para foto.

O Anderson começou bem e logo captura outro exemplar nas mesmas condições do dia anterior, ou seja, ração com cevadeira a 40 cm de altura.

No primeiro arremesso também consigo capturar um pequeno Tamba, mas que não deixei de registrar para os amigos leitores.

Por volta das 10h00min h., encontramos outros amigos e desta vez da cidade de Franca-SP, e ficamos batendo um longo papo e relembrando até mesmos as Pescarias que realizamos juntos no Córrego e durante o bate papo nossos amigos capturaram alguns Tambas que não deixamos de registrar/fotografar.

Quando retornei ao nosso “QG” o Gabriel e o Anderson também haviam capturado alguns peixes.

Estávamos praticamente nos preparando para o almoço e a bóia do Adimir afunda e uma grande briga se inicia e depois de alguns minutos o Bonito e Grande Tambacu vêm para as fotos nos braços de nosso amigo e enquanto ele se preparava minha bóia também afunda e vamos todos para as fotos com 2 bons peixes que habitam o Pesqueiro Matrinchã.

Após essa seqüência de 2 bons peixes, fizemos uma pausa longa para o ótimo almoço servido no local e merecido descanso, mas logo no retorno o Anderson abre a contagem com um bom exemplar e observem na foto que ao fundo fisguei com o equipamento do Adimir (que estava na sessão de fotos) outro bonito Tamba que após boa briga infelizmente acabou escapando.

O Anderson acabou se soltar o peixe e no primeiro arremesso outra fisgada certeira e desta vez uma “briga” com grandes tomadas de linha denunciava ser mais um grande exemplar e depois de muito tempo o grande Tamba se entrega e vem para a foto e possibilidade de mostrá-lo aos amigos leitores.

Uma de nossas bóias (Adimir) estourou e estava passeando pelo lago e pela briga inicial aparentava ser um grande exemplar e depois de varias tentativas frustrada resolvi dar a volta no logo e capturar a bóia e ver a cara do peixe, que de fato brigou muito, mas não se tratava de um legitimo “Baguá”, mas sim de um bom peixe!!!

Os amigos de Franca-SP vieram pescar ao nosso lado e depois de perderem o peixe (fisgado com EVA’S), aproveitei e também fiz a captura da bóia e conseqüentemente do peixe e aproveitamos para última foto nesse excelente Pesqueiro fortemente recomendando pela equipe Fishingtur para os amantes dos grandes peixes, principalmente dos Tambas, assim visitem e aproveitem o local!!!

O relógio já marcava 17h00min h., e mesmo estando na “hora boa” de captura dos Tambas resolvemos “desmontar o acampamento” por ser tratar do final de ano e retornar para São Paulo com a certeza de breve retorno.

Gostaria de deixar um grande abraço ao Gabriel, Anderson e Adimir, ao Antonio proprietário do Pesqueiro Matrinchã e todos os funcionários do local.

.

Fotos: Silvio, Anderson, Adimir e Gabriel Texto: Silvo Leme

Abraços,

Silvio Leme

AGRADECIMENTOS

Pesqueiro Matrinchã

#pesqueiromatrinxa #pescaria #pesca #fishingtur #tambacu

Carretilhas de Pesca Penn
Contato Fishingtur

Parceiros

bruta.png
Lumis.png
Enz Miçangas e evas
LogoSimon.png
girls fishing lovers.png
Logo.png
universo da pesca.png
Oculos Matuto.png
ESTILO GOIANO.png
go pro 1.png
massa paturi.png
boias de pesca, boia cevadira, boia torpedo
Logo Completo Colorido recorte.png
Logo Step quadrado Tranparencia.png

Step'lc Confecções

Rua Nova Cidade - Vila Olímpia - São Paulo - SP

273.441.558-50

fishingturpesca@gmail.com

Prazo de Entrega da Loja de 10 a 14 dias úteis

O maior portal de Pesca e Turismo do Brasil

Fishingtur Pesca e Turismo 2007