Clube de Pesca Pescar - Luziânia - GO


Olá amigos e leitores do Fishingtur, após ver essa nova dica de pesqueiros, montei um grupo de oito pescadores, sendo dois de SP e seis aqui do RJ, para fazermos uma pescaria nesse paraíso do cerrado. Eu (Levy), Alvaro, Ari, Lucas, Sávio, saímos aqui do RJ às 07:20h e por volta das 09:00h estávamos chegando ao aeroporto de Brasília, encontrando com nossos amigos paulistas, Bruno e Ricardo que já haviam sido recepcionados pelo Cássio, proprietário do Clube Pescar. Após as apresentações necessárias partimos então para o pesqueiro. Ao chegarmos no Clube Pescar podemos verificar a beleza e a limpeza do local, que possui lagos para a prática do pesque e pague assim como o pesque e solte, e rapidamente montamos nossas tralhas e fomos a luta.

Alguns dos materiais utilizados na pescaria:

*Tambas: Vara Lumis 2,10m, Airon Dark 1,98 m, Star River 2,40m e Kenzaky 2,40m - Carretilhas: Shimano curado 300 EJ, Contender GTO Big Game, Intruder 300.

*Pintados: Vara Apache III 25 Lb, Striker 20-45 libras - Carretilhas: Brisa GTO 3000 e Shimano corvalus 400 clv.

*Pirararas: Aruma 50 lb., Elite Okuma 100 lb., Evolution 80 lb.

Nosso anfitrião prometeu uma cerveja ao pescador que tirasse o peixe acima de 20 kg, e para o seu azar e minha sorte, com 15 min de pescaria, minha carretilha Penn 330 LD começa a cantar, não deu outra deixei levar um pouco da minha linha multi 80 libras e dei uma forte fisgada, ocasionando em grandes e seguidas tomadas de linha indicando uma bela pirarara. Ganhei minha gelada. 25 kg.

Infelizmente o vento estava muito forte e atrapalhou e muito a pesca com cevadeira, mas mesmo assim, conseguimos vários e belos exemplares com miçangas cor café com leite ou coquinho com os e.v.a’s, além da hora em que o vento estava mais forte, com ração guabi na pinga e vinte centímetros de profundidade. Até mesmo dois pescadores iniciantes, Ari e Lucas, pegaram seus exemplares.

A noite, barracas montadas com confortáveis colchões, saboreamos uma deliciosa comida, após um merecido e necessário banho em banheiros incrivelmente limpos, partindo então para a pescaria dos peixes de couro. E não demorou muito e entrou uma bela e briguenta pirarara que rendeu uma boa e demorada briga. Logo após a soltura desse belo peixe, foi a vez do Ricardo tirar seu belo exemplar de pincachara e pouco depois de uma linda pirarara.

Fomos então dormir um pouco, quando de repente só escuto o barulho do molinete do Bruno cantando de um jeito que não parava, quando ele deu a fisgada já falou “nossa essa é grande”, e após um bom tempo veio pra foto essa linda pirara de 33 kg para encerrar a noite.

Com o vento atrapalhando a pescaria de cevadeira, os melhores horários eram das 06h00min até às 9h00min e das 16h00min até o anoitecer, ai era só arremessar as boias barão e brigar com os belos tambacus e tambaquis que habitam esse lago e até alguns matrinxãs vieram nos visitar.

Bem, chegado o dia de irmos embora, resolvi arrumar todo meu material e deixar apenas a vara Evolution com a Penn para tentar mais uma pira, fi