Clube Pescar – A hora e a vez das artificiais e das Grandes Pirararas (Parte – 3)


Local: Clube Pescar – Luziânia – GO

Data: 29 de Abril de 2012

Olá amigos leitores!

Nesse relato vamos descrever a última parte da pescaria realizada por nossa equipe no Clube Pescar, localizado na cidade de Luziânia – GO que fica aproximadamente 60 quilômetros de distância de Brasília no Distrito Federal. A aventura ocorreu no final do mês de abril de 2012 durante o feriado prolongado do dia do trabalho e teve a minha participação (Silvio Leme) do Marcio David, Junior e Rogério Rodrigues, os aventureiros do Cerrado. Conforme acompanharam na matéria Parte 2, encerramos o nosso excelente dia de pescaria na modalidade 100% cevadeira e conseguimos obter uma grande quantidade de capturas dos peixes chamados redondos (Tambacu, Tambaqui, Pacu, Patinga e Tambatinga). Todavia, no Clube Pescar também é morada de grandes exemplares de Pirararas e nossa equipe ainda não havia capturado nenhum exemplar do “rabo vermelho” e resolvemos intercalar a nossa noite com descanso nas barracas armadas ao lado do lago e tentativa de capturar as Pirararas. A noite para as Pirararas começou bem e nossos vizinhos de quiosque conseguiram rapidamente 2 (dois) bons exemplares com a isca de queijo minas. Essa isca é bem produtiva no Clube Pescar para as Pirararas e com essas 2 (duas) estava aberta a contagem!!!

Pirararas dos amigos Pescadores do Clube Pescar

Um dos meus equipamentos, iscado com salsicha de fundo 3 (três) metros da margem dispara o alarme e em segundos confirmo a fisgada, mas nada do peixe “pesar” e ou, ocorrer à tomada de linha como é peculiar as Pirararas e rapidamente identificamos se tratar de uma Tambatinga que devido ao porte do equipamento logo se entregou. O Junior e o Marcio que montaram um equipamento leve com salsicha boiando/flutuando capturam um Tambacu e uma bonita Pincachara respectivamente e fomos todos para as fotos.

Tambacu, Tambatinga e Pincacharra Junior, Silvio Leme e Marcio David

Após um merecido banho e jantar, seguimos para o descanso nas barracas e deixamos os equipamentos “pesados” armados à beira do lago com os alarmes acionados e caso alguma Pirarara resolvesse nos visitar teríamos o despertador das carretilhas para nos acordar e não demorou muito (+ ou – 1 hora) e o tradicional som que os pescadores tanto adoram dispara, e eu em disparada saio da barraca e um dos meus equipamentos, iscado com cabeça de Tilápia, já estava com pouca linha devido a grande corrida inicial do peixe o que denunciava ser uma Pirarara, e quando confirmo a fisgada percebi que finalmente a do “rabo vermelho” apareceu. Nesse momento, o Marcio também já estava ao meu lado e apesar de ser um grande exemplar, estava com equipamento adequado e no Clube Pescar não tem enrosco no lago e 10 minutos depois o grande exemplar pousa para as fotos. Exemplar Gigante!!!

Pirarara Silvio Leme

Alegria geral na equipe Fishingtur, felicitações pela captura e retornamos para as barracas e exatos 40 minutos depois, mais um alarme dispara e eu novamente em disparada saio da barraca e observo o equipamento do Rogério, iscado com Guelra de Tilápia quase bebendo água e imediatamente confirmo a Fisgada e chamo o Rogério para a “briga” com o peixe, e pelas tomadas de linha constantes observamos se tratar de mais um bom exemplar que minutos depois não resistiu e também estava nos braços do Rogério para a sessão de fotos. Exemplar Monstro!!!

Pirarara Rogério Rodrigues

Conferimos as iscas o Rogério recoloca a mesma guelra e a deixa no mesmo local (3 metros da margem) e novamente todos se recolhendo nas barracas e acreditem 30 minutos depois, disparo de alarme e desta vez apenas fiz a abertura do zíper da Barraca e observei o mesmo equipamento do Rogério tomando linha e desta vez apenas disse: Rogerião é sua amigão!!! Após muita briga mais um lindo exemplar aparece para alegrar a nossa madrugada e saio em uma das fotos com o Rogério. Vamos Fishingtur!!!

Pirarara Rogério Rodrigues

Após a segunda Pirarara do Rogério, o mesmo ritual de analisar/refazer as iscas e voltamos para as barracas (individual) para continuar descansando e umas 2 horas depois quase no final da madrugada outro som de alarme e deste vez mais distante e apenas ouvi o Junior gritando Ah mulequeeeeee.... e quando sai da barraca observei o peixe ainda com o alarme ligado tomando muita linha, demonstrando ser mais um grande exemplar que habita os lagos do Clube Pescar o que acabou se confirmando 10 minutos depois quando a grande Pirarara se entregou, capturada novamente na cabeça de Tilápia. Mais um exemplar Gigante!!!

Pirarara Junior

Para essa aventura os integrantes da equipe Fishingtur utilizaram para os Tambacus, Tambaquis e Pincacharas varas de 1,90 m até 2,10 m, com carretilhas de perfil baixo comportando um mínimo de 100 metros de linha monofilamento de bitola 0.37/0.40 mm e as tradicionais e consagradas Boias Barão (Foguete e cevadeira) de 55/65