Clube Pescar – O paraíso das Pirararas, Tambacus, Tucunas, Matrinxãs, enfim…


Local: Clube Pescar – Luziânia – Brasília – GO

Olá amigos do Fishingtur!

Vou relatar a vocês o segundo dia de nossa pescaria no excelente Clube Pescar, localizado em Brasília, mais precisamente em Luziânia. Para quem ainda não viu como foi nosso primeiro dia, clique aqui. Nesta relato, vamos retratar o dia inteiro de pesca, e mostrar a vocês a qualidade dos peixes e quantidade que conseguimos pegar, lembrando que nesta viagem nossa equipe estava formada pelo Marcio David, Saulo Ricci e eu (Fernando Acorci), e já posso afirmar que foi uma pescaria sensacional, mesmo sendo feita em pleno mês de Julho, isso mesmo pessoal, esta pescaria foi feita no mês de JULHO por incrível que pareça, e os peixes? esta parte vou deixar para vocês leitores tirarem suas conclusões! Logo que acordamos, fomos direto para o restaurante tomar nosso café da manhã, que é muito bem servido, com ovos mexidos, salsicha, pães tanto francês quanto de queijo, enroladinhos, sucos, leite e um café maravilhoso. Devidamente alimentados, seguimos para o lago, e antes de pescar, retratamos as suítes que são as novidades do Clube Pescar, onde foram feitas na beira do lago e com muito bom gosto.

Suítes - Clube Pescar

Após as fotos, fomos para pescaria, e como disse no relato “parte 1“, o vento não nos largava de jeito nenhum, das 6 da manhã as 7 da noite ele era nosso companheiro, e mesmo assim, começamos a cevar e pescar com as anteninhas e evas trenzinho, montados no chicote de linha 0,50mm e líder 0,50mm da Aqua Line e Bóias Barão Gigante. E logo nos primeiros minutos de pescaria, os peixes começaram a aparecer.

Redondos - Fishingtur no Clube Pescar

As capturas eram incessantes, com muitos peixes de qualidade comendo na ceva.

Clube Pescar

Vale ressaltar, que como o vento estava muito forte, a ceva ia se espalhando, e por incrível que pareça os verdadeiros gigantes só estavam subindo bem perto da margem, algo em torno de 10 a 15 metros, assim o Marcio da um arremesso bem na frente de um gigante, que atraído pelo barulho da cevadeira veio comer a ração e não resistiu à anteninha, confeccionada com evas marrom e miçanga bolinha de futebol das Boias Barão, e assim abocanhou tudo, dando um belo estouro na água, aí o jeito foi fisgar e brigar por cerca de 20 minutos com esse verdadeiro gigante do Clube Pescar.

Marcio David - Clube Pescar

Com o meio do dia se aproximando os redondos foram ficando manhosos, e então, resolvemos dar uns arremessos com as cevadeiras no Tancão, visto que lá, além das gigantescas pirararas, também residem Tambacus, tambaquis, pacus, dourados, tucunarés, matrinxãs, Tilápias e um enorme Pirararucu, assim nos motivou a ver a reação dos peixes na ceva, e depois de umas 5 copadas, as atividades na superfície começaram, e vale ressaltar que estávamos pescando tanto com evas quanto com miçanguinhas a 10 cm de profundidade, assim, tentando os redondos ou qualquer outra espécie que subisse na ração. E as capturas começaram, hora no eva hora na miçanguinha. Um festival de grandes tilápias e matrinxãs gigantes. sem falar no Dourado na casa dos 8 quilos que o Marcio fisgou no eva, mas acabou escapando perto da margem.

Tilápias e Matrinxãs

Estávamos pescando bem na divisão dos dois lagos, assim podendo ter toda a visão do lago de tambas também, onde o Saulo deixou um torpedo apoitado com chicote de 1 metro e como isca, ração furadinha de Goiaba, e quando olhou para procurar seu torpedo, não tinha mais nada rsrsrsrsrs …. E depois de quase 20 minutos de batalha, um verdadeiro gigante se rendeu ao braço de nosso pescador. Olhem o tamanho desse tamba !

Tambacu - Saulo Ricci

Depois de soltar esse belo exemplar, só nos restava ir degustar o excelente almoço do Clube Pescar, onde posso dizer que cada dia eramos surpreendidos por pratos mais gostosos e bem elaborados, realmente pescar no Clube Pescar, é algo que se você não conhece, tem que conhecer. E além desta comida excelente que comemos, também retratamos os quiosques que já estão a disposição do pescador no lagão, onde não precisa nem de apoiadores de vara, pois em cada quiosque já tem 4 devidamente embutidos no chão, assim aumentando ainda mais o conforto do pescador.

Clube Pescar

Voltamos do almoço e resolvi ficar um pouco no lagão, perto das varas de pira e assim fiquei por 1 hora lá sentado, só observando o movimento dos peixes, e vale retratar que a quantidade de peixes no lagão é algo impressionante, onde você vê desde cardumes com mais de 20 tucunarés nadando pelo lago, quanto grandes dourados explodindo nas tilapinhas e isso tudo acontecendo em meio a uma água extremamente cristalina. Realmente é um local que dispensa comparações, onde você se impressiona tanto com os peixes quanto com a água e o local. De repente aquela paz é interrompida por uma forte catracada, e logo com a vara em punho mando uma fisgada certeira. Logo quando fisguei, o peixe se quer deu conta que tinha alguém do outro lado e com equipamento extremamente pesado onde eu estava utilizando uma vara de 200lbs, uma carretilha tamanho 800 e linha de multi 150lbs, ela tomava linha livremente pelo lago, assim vocês podem ter uma noção da força do peixe, em meio aquela imensidão de água, e depois de quase 30 minutos de briga, uma gigantesca Pirarara vem nos prestigiar com sua força e beleza. Não pesamos a Pirarara, pois a balança estava no outro lago, mais quem conhece sabe que passa facilmente dos 30kg. Bom independente do peso, o que vale é um animal desses ser tratado com todo cuidado e respeito e pousar para uma sessão de fotos, e depois, entrei na água para solta-la.

ISSO ÉÉÉHHHHH FISHINGTUUUUUUUUUURRRR !!!!!

Pirarara - Fernando

Após essa captura, resolvemos parar com as cevadeiras no outro lago, pois os peixes não estavam subindo devido ao vento. Então, resolvemos dar várias copadas no lagão, e deixar a ceva correr, visto que não tinha ninguém no lago, cevamos por cerca de 10 minutos intensamente, e depois da ração rodar bastante, começaram alguns peixes a subir, e em questões de minutos, virou uma batedeira incessante, porém com todos os tipos de peixes, e nos evas, saíram apenas as tilápias e grandes matrinxãs, mas observamos que na superfície os tambas não estavam conseguindo chegar, e em meio a outras espécies, arremessamos as cevadeira com chicote de 1 metro e como isca a raçãozinha na pinga, e foi fatal, os redondos não resistiram.

Cevadeira no lagão...

A ceva foi acabando, e como tinha muitos peixes concentrados, uma copada era muito pouco para que os redondos pudessem chegar na ceva, e assim, resolvemos mudar de estratégia e mostrar a vocês uma outra pescaria que é muito interessante de se fazer. Resolvemos tentar os famosos tucunarés, que existem em abundância no lagão, e assim, compramos alguns lambaris vivos, e apenas com um anzol modelos WIDEGAP 2/0 direto na linha da carretilha, fizemos a festa com os Tucunas. Quem já foi saindo na frente foi o Marcio que com um equipamento extremamente leve e adequado,com uma Vara Lightning Rod – Berkley de 8-14lbs, fez inúmeras capturas. Vale ressaltar o equipamento utilizado, que foi uma vara 8-14lbs da Berkley e uma carretilha Revo STX da Abu Garcia, onde se mostrou um equipamento bem balanceado para pescaria leve, enquanto isso, eu e o Saulo, só observamos os tucunarés dando o bote nos lambaris e registramos á vocês. Não era preciso nem arremessar, bastava soltar o lambari e ver ele nadando até o ataque, isso a quase 2 metros de profundidade. Água cristalina nos possibilita tais imagens.

Tucunarés

Com o fim de tarde se aproximando, retornamos para o piscoso lago de tambacus, e em meio a algumas copadas os peixes começaram a subir, desta vez bem agressivos, facilitando nosso sucesso nas capturas, destacando o dublê que fizemos com uma enorme tamba e um tucuninha.

Clube Pescar - Isso é Fishingtur !!!

A noite se aproximava, e fui o primeiro a parar de pescar tambas, e correr pro outro lago atrás das gigantescas araras que la residem, e então, resolvi colocar iscas novas em todos os equipamentos, e arremessa-los todos de novo, e acreditem se quiser, quando fui arremessar o terceiro equipamento, o primeiro que a menos de 1 minuto estava na água já puxou, concluí o arremesso e coloquei a vara no suporte e então fui brigar com a pirarara e em menos de 10 minutos de briga, o terceiro equipamento que eu tinha acabado de arremessar também começa a puxar, e então chamei o Marcio para me ajudar e sair no dublê de pirarara logo nas primeiras horas da noite. Pessoal, já frequentei inúmeros pesqueiros famosos de pirararas, mas se tem um lugar onde elas são extremamente ativas e brigadoras, ESSE LUGAR É O CLUBE PESCAR , onde uma pira com menos de 20 kg briga em torno de 20 minutos tranquilamente. É algo incrível esse pesqueiro, e assim, acompanhem a sessão de fotos do dublê, ambas pegas na cabeça de tilápia arremessada a uns 30 metros.

Pirararas - Marcio e Fernando

Soltamos esse lindo dublê, e logo já tinham varas e mais varas puxando. Era um verdadeiro inferno de pirararas.

Pirararas - Fernando e Saulo

E em meio as capturas, o Saulo tentou pescar de um jeito que ele gosta muito, onde consiste em apenas um anzol e uma bolinha de massa arremessados a uns 20 ou 30 metros. E logo já tinha peixa na foto, e por sinal, uma linda Tilápia que após soltá-la, fomos jantar, uma deliciosa comidinha do Clube Pescar.

Clube Pescar

No caminho do Restaurante, notamos no lago de tambas, vários tambas comendo a ração que tinha sobrado do dia, bem devagar, apenas colocando a boca pra fora e pegando grão por grão. Após a janta, pegamos os equipamentos de cevadeira, e logo começamos a cevar bem no foco de luz, em frente ao restaurante e ai meus amigos, como tudo da certo no CLUBE PESCAR, pegamos inúmeros tambas e até um dublê. Todos nos evas.

Cevadeira a noite !!!!

Depois de inúmeras capturas fomos olhar as varas de pira que estavam todas armadas no lagão, e adivinhem o que aconteceu ? Quando cheguei me deparo com minhas 2 varas literalmente bebendo água, então o jeito foi chamar o Saulo para vir me ajudar á tirá-las e foram vários minutos de briga até que a minha Pirarara encosta na margem, imediatamente o Marcio já dispara um flash meu apontando para ela, e logo a do Saulo já encosta também, e aí demos conta do seu tamanho. Se tratava de uma pira gigantesca. Olhem a sessão de fotos que fizemos com esse dublê que com toda certeza corôa o Clube Pescar com um dos melhores pesqueiros do Brasil.

Pirararas Gigantes - Saulo e Fernando

Assim, vamos encerrando em alto nível nossa segunda parte da matéria, nosso segundo dia de pescaria, onde pegamos muitos, mais muitos peixes. Fiquem ligados pois não acabou por não. Temos mais duas matérias de mais dois dias de pescaria. Aguardem !!! Queríamos agradecer mais uma vez ao Cássio e a toda equipe do Clube Pescar, onde nos receberam muito bem. Somos muito gratos a vocês por oferecerem um lugar tão espetacular para se pescar !

Equipe Fishingtur

AGRADECIMENTOS

Clube Pescar Luziânia – Brasília – GO

#PescariadeGigantes #ClubePescar #Luziânia #Goiás #Emoção #PeixesdeCouro #GigantesdeGoiás #Pescariacomamigos

11 visualizações
Contato Fishingtur

Parceiros

bruta.png
Lumis.png
Enz Miçangas e evas
LogoSimon.png
girls fishing lovers.png
Logo.png
universo da pesca.png
Oculos Matuto.png
ESTILO GOIANO.png
go pro 1.png
massa paturi.png
boias de pesca, boia cevadira, boia torpedo
Logo Completo Colorido recorte.png
Logo Step quadrado Tranparencia.png

Step'lc Confecções

Rua Nova Cidade - Vila Olímpia - São Paulo - SP

273.441.558-50

fishingturpesca@gmail.com

Prazo de Entrega da Loja de 10 a 14 dias úteis

O maior portal de Pesca e Turismo do Brasil

Fishingtur Pesca e Turismo 2007