Pesqueiro Pantanosso – Uma boa pescaria e um gigante troféu na ponta da linha



Local: Pesqueiro Pantanosso - Mairinque – SP

Data: 08 de novembro de 2010


Olá Amigos


Em plena segunda-feira, resolvi ir ao Pesqueiro Pantanosso, em Mairinque. Cheguei ao pesqueiro por volta das 7:30h e todas as plataformas estavam cheias. Nosso amigo Emerson “Selva” chegou junto comigo e acabamos ficando na plataforma de madeira bem abaixo do restaurante.


Ali é local dos grandes pintados, mas mesmo assim decidimos nos alojar por ali mesmo. Até que tentamos alguns arremessos no cimentão, mas o vento estava muito forte e haviam outros pescadores por ali.


Em uma rápida subida ao restaurante, avistamos lá de cima dezenas de peixes na superfície, bem ali, pertinho da margem.


Descemos e começamos a cevar e para nossa surpresa muitos tambacus começaram a subir na ceva. Confesso que em todos esses anos que frequento o Pantanosso, eu nunca vi grandes peixes subindo nessa região, perto do restaurante, foi a primeira vez. E a cada minuto que passava, mais e mais peixes subiam na ceva e as vezes grandes explosões dos gigantes tambacus.



Estávamos fazendo arremessos de no máximo 20 metros e outros a menos de 10 metros, isso sem falar nos peixes que subiam a 4 metros de onde estávamos.


Optei pela pesca de superfície com anzol de robalo, com dois eva’s e uma miçanga e o Emerson começou com um chicotinho curto com ração na pinga e depois com as miçangas. Aos poucos os peixes foram atacando nossas iscas.



O que aconteceu muitas vezes é assim que arremessávamos, vários peixes ao mesmo tempo pulavam em cima da ração, jogando a bóia para longe da ceva, ou pulavam em cima da cevadeira, isso quando não se batiam disputando a ração fazendo um estardalhaço na água. Algo realmente impressionante.


Eu não imaginava que no Pantanosso tinha tantos Tambas grandes assim. Ao olhar lá de cima do restaurante, não tínhamos como contar os peixes grandes, mas dezenas e dezenas de grandes exemplares estavam por ali.






Eu ainda perdi dois grandes peixes, o primeiro escapou depois de muito tempo de briga e o segundo, ao fisgar, deu 2 saltos para fora da água, estourando a minha linha. Era um Tamba acima dos 20kg.


Como o vento estava a nosso favor, muita ração acabou ficando embaixo da passarela de madeira e notei que muitos tambas estavam vindo comer embaixo dessa passarela.


Arremessei a uns 5 metros da margem onde muitos tambas começaram a subir, recolhi e arremessei de novo quando vi uma enorme boca se aproximando do eva, tudo pareceu acontecer em câmera lenta, quando o peixe abocanhou o eva bem devagar e antes mesmo da bóinha se mexer eu fisguei e o bicho disparou para o meio do lago em uma fantástica corrida. Ele estava indo em direção ao mato do outro lado, mas comecei a segurar a fricção no dedo e por sorte el